O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) condenou na noite desta sexta-feira (13) o deputado estadual Romildo Titon (MDB) a 10 anos e um mês de prisão em regime fechado por corrupção passiva. A ação julgada está relacionada à Operação Fundo do Poço, investigação que apurou que, desde 2009, empresas de perfurações de poços artesianos estariam estabelecendo acordos para se definir vitoriosos em procedimentos licitatórios, nas regiões Oeste e Serrana.

O G1 não conseguiu contato com a defesa do deputado. A ação é resultado da denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) contra 37 réus, entre políticos, agentes públicos e empresários.

Além do deputado, foi condenado também o empresário Luciano Dal Pizzol. De acordo com o TJSC, ele foi responsável pela perfuração de poços em municípios do Oeste. A pena dele foi de 17 anos de prisão em regime inicialmente fechado.

Entre os demais réus, foram registradas novas condenações e algumas absolvições por falta de provas, segundo o Poder Judiciário. Até a publicação desta notícia, a sentença não havia sido divulgada. A sessão de julgamento começou às 9h desta sexta e terminou no início da noite.