Zahyra Mattar
Tubarão

Santa Catarina vive uma situação completamente oposta à dos outros estados do país quando o assunto é dengue. Enquanto todos se esforçam para controlar a doença, por aqui a luta é para não deixar o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, instalar-se.
O estado é o único onde todos os casos constatados de doentes foram contaminados em outros estados ou países. Para que continue desta forma, é importante que a população tome consciência da gravidade da dengue – que pode até matar – e declare guerra ao mosquito.

“O calor e a grande incidência de chuva neste período do ano é um prato cheio. É importante que todos sejam fiscais e adotem as medidas preventivas, como não deixar lixo que possa acumular água no terreno, colocar areia nos pratinhos das plantas. Não é difícil”, incentiva a coordenadora e supervisora do programa da dengue na 20ª gerência regional de saúde em Tubarão, Cláudia Ochs.

Além disso, a temporada de verão atrai pessoas de todo o país a Santa Catarina. E o Aedes aegypti adora uma carona. “Com isso, o risco de ele instalar-se em alguma cidade é grande. Mas, se todos adotarem as medidas preventivas, o mosquito não encontrará um local adequado para colocar os seus ovos e morrerá”, explica Cláudia.
Nesta sexta-feira, a 20ª gerência de saúde em Tubarão e a 19ª, em Laguna, promovem uma reunião macrorregional para articular a estratégia a fim de combater o Aedes. O encontro será nesta sexta-feira, das 13h30min às 17 horas, no auditório do bloco da saúde da Unisul.