Dados divulgados pelo boletim Epidemiológico desta semana da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), apontam 987 casos confirmados de dengue. Os dados foram coletados de 30 de dezembro do ano passado até o último dia 8. Dos 987 casos confirmados, 981 foram confirmados pelo critério laboratorial e seis pelo clínico epidemiológico.

Até o último dia 1º, foram contabilizados 949 casos no Estado. Apenas Itapema era considerada epidêmica, porém, com a atualização desta semana, Porto Belo foi incluída na lista. De acordo com dados da Dive-SC, o município para ser considerado com a epidemia, o índice infestação deve ser maior que 300 casos por 100 mil habitantes.

Entre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypt também estão a chikungunya e o zika vírus. Para chikungunya, foram notificados 400 caso no Estado. As pessoas doentes estiveram no Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Maranhão, no entanto, moram em Tubarão, Balneário Camboriú, Brusque, Chapecó, Florianópolis, Imbituba, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Pinhalzinho e São José.

Ainda permanecem como suspeitos  189 casos de chikungunya e outros 198 foram descartados. Por outro lado, no zika vírus, 106 casos foram notificados, 22 permanecem como suspeitos, 75 descartados e 9 tiveram exame inconclusivos.
Em Santa Catarina, 91 municípios são considerados infestados. São 19.415 focos do mosquito em 183 cidades. Houve ainda, a inclusão de duas cidades consideradas infestadas, Ouro Verde, no Oeste e Biguaçu, na Grande Florianópolis.