Deyvisonn tem se mostrado confiante no resultado das urnas e da justiça para o indeferimento do pedido de anulação do pleito  -  Foto:Divulgação/Notisul
Deyvisonn tem se mostrado confiante no resultado das urnas e da justiça para o indeferimento do pedido de anulação do pleito - Foto:Divulgação/Notisul

Florianópolis

O pleito encerrou há pouco mais de um mês, mas em Pescaria Brava a decisão ainda não teve fim. Tudo porque representantes da Coligação ‘Pescaria Brava no Rumo Certo’, no qual tinha como postulante à majoritária o atual prefeito Antônio Honorato (PSDB), que tentava a reeleição, entrou com o pedido de novas eleições na cidade. O resultado apontou um voto de diferença entre o primeiro e segundo colocado, Honorato ficou na segunda posição. O vencedor foi Deyvisonn Souza (PMDB).

Em primeira instância, o juiz Paulo da Silva Filho, titular da 20ª Zona Eleitoral, indeferiu o pedido, anulou os votos da seção nº 90 – somente para prefeito – na Escola de Educação Básica Honorata Freitas, no bairro Sertão do Siqueiro, o que ampliou a vantagem para 76 a favor de Deyvisonn. Com a derrota na 20ª Zona Eleitoral, Honorato recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC).

A decisão que deveria ser apreciada pelos desembargadores do pleno catarinense hoje foi transferida para o próximo dia 30. Tanto o atual prefeito quanto o vencedor do pleito estão confiantes. O caso ainda poderá ir parar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.