Wagner da Silva
Braço do Norte

Não é novidade a ‘corrida’ dos consumidores ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) para tirar o nome da ‘lista negra’ do comércio depois de receberem o décimo terceiro salário. Nos últimos anos, é cada vez maior o número de pessoas que empregam o dinheiro extra para voltar a ter crédito. Os dados do SPC, repassados pelas Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL) de São Ludgero, Braço do Norte e Grão-Pará, confirmam a baixa na inadimplência.

Dos três municípios, Braço do Norte e Grão-Pará registraram números negativos. No primeiro município, os cheques devolvidos aumentaram 22,20%. No outro, o número de cheques utilizados para pagar dívidas diminuiu quase 50%. O bom sinal é que nas três cidades houve diminuição nos registros do SPC e aumento de pessoas em busca de quitar dívidas do crediário.

O comerciante Antonio Fernandes, de Braço do Norte, é um dos que confirmam a mudança de atitude do consumidor. “Muitas dívidas antigas foram quitadas em 2007. Isso mostra que as pessoas estão mais preocupadas em zelar pelo seu crédito. O comércio também tem ganhos: perde menos e pode oferecer mais”, analisa.

O diretor da CDL de Braço do Norte, Clayton Della Giustina Coan, acredita que este bom desempenho deve-se a vários fatores, entre eles as opções de consulta, já que o SPC possui contrato também com a Equifax e o Serasa.

O presidente ainda chama a atenção para a organização do orçamento doméstico. Para ele, algo extremamente necessário e que reflete sobre a qualidade de vida de toda a família. “Além disso, emprestar o nome ou cheque para terceiros, mesmo que sejam parentes, pode tornar-se um problema”, orienta. No que diz respeito ao comerciante, Coan analisa que é importante a filiação a alguma agência de consulta.

Para ele, é a garantia de uma boa venda e a diminuição de problemas futuros. “Com o CPF da pessoa, o comerciante faz a pesquisa em todo o país, por telefone ou pela internet. A consulta é rápida e fácil”, sugere o presidente.