Rafael Andrade

Tubarão/Coimbra, Portugal

Quando a força de vontade ultrapassa os sonhos, o resultado é simples: o querer vira concreto, deixa a abstratividade para trás. O que surge? Oportunidades palpáveis. Como conquistá-las? Com muito suor de corpo e mente, e no caso do nosso personagem da matéria especial desta segunda-feira de Carnaval, o foco é colocado em prática, literalmente, à base de muito esforço.

Samuel Aguiar de Souza, de 22 anos, morador de Tubarão, vai começar uma vida nova a partir de setembro, quando ingressará em uma das instituições de ensino mais antigas e prestigiadas do mundo: a Universidade de Coimbra. O jovem, que já atuou como garçom por muitos anos e hoje é servente de obras, vai cursar Engenharia Civil, um dos cursos amplamente disputados da entidade portuguesa. E como o rapaz – de origem humilde, mas com força certeira – conseguiu chegar até aqui? Estudando muito. Ele conquistou o impressionante primeiro lugar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Universidade de Coimbra, conforme parceria luso-brasileira dos ministérios de Educação dos dois países.

O servente conclui o ensino médio na Escola de Educação Básica Martinho Alves dos Santos, no bairro São Martinho, em Tubarão. Chegou a ingressar na Unisul, no mesmo curso que sempre objetivou e vai estudar em Portugal, mas, como ele mesmo aponta, devido a dificuldades financeiras de arcar com os custos: cerca de R$ 1,5 mil por mês, e após seis semestres concluídos (em um total de dez necessários), trancou sua graduação. Voltou a prestar prova no Enem em 2017 e 2018, agora mirando o outro lado do Atlântico. O resultado foi o melhor possível. “Em Portugal, minha intenção é iniciar o curso novamente. Lá, dura três anos, no Brasil são cinco. Além de Coimbra, passei também para a Universidade da Beira Interior (UBI), em Covilhã, próximo à divisa com a Espanha, nos cursos de Engenharia Civil, Economia e Gestão”, orgulha-se o jovem estudante.

 A parceria Brasil/Portugal, por meio do Enem, iniciou em 2014, e, desde o ano passado, já somam 37 universidades portuguesas inscritas. Samuel vai para Europa em agosto, um mês antes do início das aulas, para finalizar a questão documental. Ele é casado com a técnica de enfermagem Bárbara Moraes, que trabalha no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), e deixará tudo para trás em apoio ao sonho concreto do marido.

O curso de Engenharia Civil terá um custo de 1,5 mil euros por ano, um total de € 4,5 mil: R$ 19.252. “Para arcar toda a graduação, irei trabalhar de garçom, como já tenho experiência. Minha esposa também irá procurar uma oportunidade em Portugal. O problema são os custos de viagem e da taxa de matrícula”, calcula Samuel. Para isso, o único bem material do jovem, uma motocicleta CBR 250, ano 2012, que vale cerca de R$ 10 mil, foi colocada em rifa. Para quem tem interesse em ajudá-lo e adquirir um bilhete, no valor de R$ 15, pode contatar o futuro engenheiro por meio do telefone (WhatsApp) 98848-2730, ou sua esposa, Bárbara, no número (WhatsApp) 99678-6221. O sorteio da rifa está agendado para o dia 6 de julho, pela Loteria Federal.

A Universidade de Coimbra (UC)

Fica na cidade de Coimbra, em Portugal. É uma das universidades mais antigas do mundo ainda em operação, sendo a mais antiga e uma das maiores do país. Composta por três polos, oito faculdades e 18 museus, a instituição conta ainda com o Jardim Botânico e o Estádio Universitário de Coimbra em um espaço com 24.815 alunos.

Sua história remonta ao século seguinte ao da fundação da nação portuguesa, dado que foi criada a 1° de março de 1290, quando o rei D. Dinis I assinou, na cidade de Leiria, o documento Scientiae thesaurus mirabilis, criando a universidade, o qual foi intermediado e confirmado pelo Papa. Fixada definitivamente na cidade de Coimbra em 1537, sete anos depois, todas as suas faculdades se instalam no antigo Paço Real da Alcáçova (denominado Paço das Escolas após a sua aquisição pela Universidade de Coimbra em 1597).

Organizada em oito faculdades, de acordo com uma variedade de campos de conhecimento, a universidade oferece todos os graus acadêmicos em Arquitetura, Educação, Engenharia, Humanidades, Direito, Matemática, Medicina, Ciências Naturais, Psicologia, Ciências Sociais e Desporto.

A Universidade de Coimbra possui aproximadamente 25 mil estudantes, abrangendo uma das maiores comunidades de estudantes internacionais em Portugal, sendo a sua universidade mais cosmopolita. Além disso, é o membro-criador do chamado Grupo Coimbra, uma rede de universidades europeias cujo objetivo é a colaboração acadêmica entre os elementos do grupo. Em 22 de junho de 2013, foi declarada Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).