Liliane Dias
Braço do Norte

Nos primeiros quatro meses do ano ocorreram mais casos denunciados no conselho tutelar do em 2007 inteiro. Só de tentativa de abuso sexual e maus tratos, de janeiro a abril, foram 40 denúncias e 20 atendimentos por dia.

“As pessoas estão perdendo o medo de falar e buscar ajuda. O conselho tutelar já não está mais com a imagem tão ligada à polícia”, explica a coordenadora do conselho de Braço do Norte, Márcia Regina Torres Dirigon.
O atendimento no plantão (emergência) diminuiu, mas as denúncias aumentaram. Mesmo assim, poucas se tratam de denúncias infundadas ou trotes. “Acreditamos se tratar de uma conscientização da população em virtude dos trabalhos realizados em 2007”, detalha.

Segundo a secretária Kassiana da Silva Elias, essa visão mudou desde o fim de 2006 e início de 2007. Ela explica que, ano passado, foram realizados trabalhos de conscientização com a população através de reuniões em todos os bairros da cidade.

“Carros de sons avisavam das reuniões. Em alguns locais foram poucas pessoas, em outros ninguém, mas em outro lugares houve uma boa participação. As pessoas passam adiante o que aprendem e escutam”, acredita.

Em toda a rede municipal, estadual e particular de ensino, cerca de sete mil guias dos direitos e deveres da criança e do adolescente, elaborados pelos funcionários do conselho tutelar, foram distribuídas.

A conselheira Josiani Becker Cossa acrescenta que a maioria dos pais e filhos tinha uma visão errônea da situação. “Ambos achavam que os jovens só tinham direitos, desconhecendo os deveres. Nessa parte foi realizado um trabalho intenso. É importante ressaltar que nem sempre os filhos têm razão. Defendemos a criança, quando é necessário, mas quando os pais têm razão, conversamos com o jovem”, acrescenta.