Microdrenagem irá melhorar o fluxo de água e evitar acúmulos nas ruas. A obra será completada pela construção de três estações elevatórias, cuja licitação poderá ser aberta ainda neste mês
Microdrenagem irá melhorar o fluxo de água e evitar acúmulos nas ruas. A obra será completada pela construção de três estações elevatórias, cuja licitação poderá ser aberta ainda neste mês

Tubarão

 

Uma viagem do prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) e do vice Pepê Collaço (PSD) para Florianópolis, ontem, “atrasou” a entrega da ordem de serviço para o início das obras da microdrenagem da margem esquerda do Rio Tubarão, prevista para ontem.
 
A data foi transferida para hoje, às 10 horas, na sala de atos da prefeitura. A obra será executada pela empresa Coenco, de Gravatal, vencedora da licitação com a proposta de R$ 3.933.318,69. O projeto prevê a ampliação da rede de drenagem em Tubarão, da BR-101 até a margem do rio.
 
“Com esta obra, também faremos um importante avanço na prevenção às cheias”, comemora Bertoncini. As galerias construídas terão a extensão de 1,49 quilômetro. Também serão implantadas 15 caixas de ligação e passagem d’água. A microdrenagem faz parte da obra de macrodrenagem em Tubarão, que também engloba a construção de três estações elevatórias.
 
Para esta etapa, falta apenas o lançamento do edital. “Acredito que iremos abrir a licitação ainda neste mês. O edital passa pela análise da Caixa Econômica Federal e dependemos apenas deste aval para contratar uma empresa”, explica Pepê.
 
As duas obras contam com recursos do governo federal e contrapartida do município. Ambas devem estar concluídas no segundo semestre do próximo ano. O investimento beneficiará quase 30% dos habitantes (cerca de 28 mil), nos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro.
 
Projeto para alterar finalidade ‘das sobras’ será elaborado
Apesar do recurso disponibilizado para a microdrenagem do Rio Tubarão ser de R$ 4.435.587,97, os R$ 502.269,28 mil de diferença entre o recurso federal e o valor proposto pela empresa vencedora da licitação (R$ 3.933.318,69) não terão que ser devolvidos.
Isto se o projeto para mudar a finalidade deste montante for aprovado pela Caixa Econômica Federal. O pedido para esta alteração será, ainda, elaborado pelo município.
Em princípio, o recurso será utilizado para a construção de outras redes de drenagem ou na recuperação da pavimentação das ruas que forem afetadas pelos trabalhos. Os recursos são fruto de um convênio entre o Ministério das Cidades e a prefeitura de Tubarão. O órgão federal disponibilizou R$ 4.213.808,57 e o município entrou com uma contrapartida de R$ 221.779,40.
 
Macrodrenagem  l  as obras
1ª etapa – Microdrenagem
• Valor disponibilizado: R$ 4.435.587,97.
• Valor contratado: R$ 3.933.318,69.
A obra: Será realizada desde a BR-101 até o Rio Tubarão e deve levar cerca de sete meses para ser concluída. O projeto beneficiará cerca de 28 mil habitantes, moradores dos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro. A ampliação do sistema de drenagem envolverá a construção de galerias, em uma extensão de 1,49 quilômetro, além da implantação de 15 caixas de ligação e passagem d’água.
 
2ª etapa – Estações elevatórias (ainda não licitada)
• Valor do contrato: R$ 499.973,98.
• Ministério das Cidades: R$ 474.975,28.
• Prefeitura de Tubarão: R$ 24.998,70.
A obra: Serão construídas três. Duas na avenida Padre Geraldo Spettmann – uma fica na esquina com a avenida Getúlio Vargas (beira-rio – cabeceira da ponte Nereu Ramos) e a segunda no fim da avenida, próximo à BR-101. A terceira fica na comunidade do Pantanal. A expectativa é de que sejam implantadas dentro de três meses. Esta obra beneficiará cerca de oito mil famílias.