Fim de semana contou com procissões, vigílias e encenações da crucificação, morte e ressurreição de Cristo. O comércio atendeu em horário diferenciado para garantir a compra de chocolates e presentes

Tubarão

A Semana Santa foi marcada por várias ações em alusão à Páscoa. O momento onde os cristãos refletem sobre o renascimento, passagem e mudança de vida diante do sacrifício de Jesus na cruz, transformou os últimos dias em tempo de partilha, de fraternidade e comunhão.
A Sexta-Feira Santa teve procissões e também teatro. A Companhia Discípulos da Arte e o Grupo de Jovens do Km 60, em Tubarão, juntaram-se para encenar um dos momentos mais marcantes do Cristianismo: a Paixão e Crucificação de Cristo. A encenação ocorreu na Capela Santa Luzia, na própria comunidade.
Na Catedral, no centro de Tubarão, houve confissão, Vigília de Adoração ao Santíssimo Sacramento na Cripta, procissão do Senhor Morto e o sermão da Solenidade proferido pelo padre Sérgio Jeremias de Souza.
Já no sábado, durante o dia, as igrejas católicas permaneceram fechadas. À noite houve missa à espera da ressurreição com Benção do Fogo Novo, do Círio Pascal. A programação especial encerrou ontem com a celebração da ressurreição do Senhor, lembrada com missas.

Páscoa aumenta vendas no comércio
No comércio, a ocasião foi de obtenção de lucros e aumento nas vendas. Em Tubarão, as lojas atenderam em horário especial até as 17 horas, onde registraram movimento intenso.
Em Laguna houve o Sábado Legal promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), com diversas ações, como recolhimento de lixo eletrônico e show de talentos infantil.

Fiéis participam de romarias em Treze de Maio
A Páscoa também é tempo de reflexão sobre os sacrifícios que Jesus fez por amor à humanidade, quando deu sua própria vida para salvar o mundo. Diante desta atitude, e em forma de agradecimento, centenas de pessoas realizam a romaria até São João de Urussanga Baixa, em Treze de Maio, onde está situada uma das maiores estátuas de Nossa Senhora Aparecida, com 13 metros.
A dentista Talita Anacleto Botega, de Tubarão, há sete anos realiza a peregrinação ao local. “Tudo começou quando fui trabalhar em Treze de Maio. Lá, fiquei sabendo que duas vezes ao ano ( Páscoa e Dia de Nossa Senhora Aparecida) existia uma prática de caminhar até a estátua da santa. Decidi então encarar o desafio de fazer a romaria”, relata.
Acompanhada de um grupo de amigos, a tubaronense fez o percurso na madrugada de sábado e durante cerca de três horas caminharam até a estátua. “No caminho, vamos rezando, refletindo e partilhando momentos únicos com os companheiros como ver o nascer do sol, sentir o cheiro do mato, o friozinho da madrugada e ouvir a água correndo nos pequenos riozinhos, são sensações que transcendem o momento e te fazem esquecer qualquer esforço. O caminho é muito agradável, existem muitos morros e a maior parte se dá em estradas de chão. Pela jornada, encontramos vários outros grupos fazendo o mesmo percurso e isto vai aumentando a nossa fé!”, explica. Os fiéis passaram pelo caminho íngreme onde estão as cruzes que representam as 15 estações por onde Cristo passou até chegar ao calvário.