#PraCegoVer Na foto, uma rua alagada em Tubarão
Diversas ruas alagaram nas proximidades do Fórum de Tubarão, o que provocou a suspensão das atividades. Os trabalhos normalizam nesta segunda-feira em todas as Comarcas catarinenses - Foto: Divulgação

A chuva que provocou mortes, alagamentos, deslizamentos e outros prejuízos em 121 municípios do Estado também trouxe problemas para as atividades e estruturas do Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC). Das 111 comarcas da Justiça catarinense, algumas tiveram as atividades presenciais suspensas, caso de Rio do Oeste, Tubarão, Barra Velha, Presidente Getúlio, Trombudo Central, Videira e Armazém. A paralisação dos serviços precisou ser feita por conta dos alagamentos. Ambos os prédios não foram invadidos pelas águas ou tiveram qualquer tipo de avaria. Mas os servidores não conseguiram chegar para o expediente por conta das inundações. Nas duas cidades, os serviços serão retomados nesta segunda-feira (9).

Em outras cidades, porém, houve danos estruturais causados pela água. Nas Comarcas de Eduardo Luz, Itajaí, Porto União, Jaguaruna, Criciúma, Imaruí, Porto Belo e Itaiópolis, os prédios tiveram infiltrações devido a intensa quantidade de chuva. Em todos eles, os reparos começaram a ser feitos a partir desta segunda-feira. Os problemas não foram graves e as atividades ocorrem normalmente, sem necessidade de paralisação dos serviços. “Acionamos os contratos vigentes de manutenção predial para as unidades afetadas. Diante das infiltrações, nenhum fórum ficou sem atendimento. Os casos de suspensão aconteceram por questões urbanas que impediram o acesso aos prédios, como ruas alagadas, por exemplo”, corrobora o diretor de engenharia e arquitetura do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), engenheiro Everton William Tischer.

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul