As gravações ocorreram em Imbituba entre dezembro do ano passado e março deste ano  -  Foto:Matheus Souza/Divulgação/Notisul
As gravações ocorreram em Imbituba entre dezembro do ano passado e março deste ano - Foto:Matheus Souza/Divulgação/Notisul

Capivari de Baixo

Foi um ano intenso. Locações, muitos testes e um bom período para as filmagens, mas agora, tudo isso acabou. Na segunda-feira, depois de uma longa espera o curta-metragem ‘Mariela vai à praia’ poderá ser visto pelo público da região no teatro do Parque Ambiental Tractebel, em Capivari de Baixo, às 20 horas.

As gravações ocorreram em Imbituba entre dezembro do ano passado e março deste ano, sob a direção dos jovens Matheus Souza e Richard Valentini, ambos de 27 anos, recém-formados em cinema pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul, campus Palhoça). 

A história acompanha de forma leve e divertida a jornada da personagem título que depois de ter fugido para o Rio de Janeiro, na esperança de se tornar uma atriz de sucesso, volta pela primeira vez em dois anos para a sua cidade natal, no litoral sul de Santa Catarina. Ali, ela precisa enfrentar as pessoas que deixou para trás; seus pais, seu irmão, suas amigas e seu antigo namorado. Todos ainda marcados por sua repentina saída, e surpresos por sua inesperada chegada. 

O público-alvo são os adolescentes e jovens com idade até 24 anos. “Esperamos reunir bastante pessoas no teatro. Resolvemos escolher Capivari de Baixo para a estreia, porque tivemos muitos apoiadores e desta forma, acredito que estamos retribuindo toda a parceria que tivemos da população da região. A escolha das locações em Imbituba ocorreram por ser uma cidade tranquila e que por sorte ‘casou’ bem o cenário e a estória”, garante Matheus.

O projeto
Este trabalho envolveu uma equipe técnica de aproximadamente 15 pessoas, além do elenco de 11 atores e pelo menos 16 figurantes. O projeto e as gravações foram idealizados por meio do incentivo do governo de Santa Catarina, no qual a equipe recebeu um prêmio da Fundação Catarinense de Cultura em que o grupo de direção poderia utilizar até R$ 60 mil para empreender na produção do piloto. 
"No momento, com este primeiro episódio já finalizado, estamos em busca de apoio e incentivo para a gravação dos remanescentes. Nossa intenção é, ao total, desenvolver uma primeira temporada composta por seis episódios. Durante este ano fizemos a prestação de contas da primeira parcela investida e só depois do recebimento da segunda metade é que pudemos finalizar o material", destaca Matheus.