Wagner da Silva
Braço do Norte

A produção de fumo no Vale de Braço do Norte e Orleans este ano é entre 20% e 30% menor do que o registrado na última safra. Nesta safra, a estimativa é que sejam colhidos cerca 1,8 mil quilos de fumo por hectare. No ano passado, mesmo com queda na produção, foram colhidos 2,2 toneladas do produto na região.

Os motivos para a menor produção foram as chuvas, registradas no último quadrimestre. Com isso as temperaturas baixaram e solo ficou muito úmido. A planta prefere tempo seco e calor. Mesmo assim os fumicultores apostam na qualidade para conseguir alcançar preços melhores.

Na última safra o preço chegou a R$ 5,80 o quilo. Cerca de 10% da produção regional já foi comercializada. O preço é feito sobre uma pesquisa de custos, mas para esta colheita, a proposta apresentada na primeira rodada de negociações, não foi aceita pelas empresas fumajeiras.

Os representantes dos fumicultores pediram 19,5% de aumento no preço do quilo, mas não houve contra proposta. “A projeção de melhora no preço pode não ocorrer e frustrar a expectativa da região. A boa qualidade do produto pode melhorar o preço, mas não quer dizer que os produtores conseguirão cobrir custos”, lamenta o instrutor da Souza Cruz, Silvio Volpato.

Apesar de terem vendido a produção antes do preço ter sido estabelecido, os produtores têm a garantia de receber a diferença. “Mesmo com o preço definido após a venda, os produtores recebem o retroativo, uma garantia de que não perderão com a venda”, reforça Silvio.