Além do recuo da rede elétrica, há algumas estruturas que precisam ser demolidas para dar lugar à estrada. É o caso desta estufa de fumo. As desapropriações já são feitas pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) - Fotos:Lucas Colombo/Jornal
Além do recuo da rede elétrica, há algumas estruturas que precisam ser demolidas para dar lugar à estrada. É o caso desta estufa de fumo. As desapropriações já são feitas pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) - Fotos:Lucas Colombo/Jornal

 

Zahyra Mattar
Orleans
 
Os trabalhos de asfaltamento da SC-382, entre Orleans e Pedras Grandes, perderam um pouco o ritmo. A afirmação é do secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, Haroldo Silva, o Dura (PSDB).
 
Ele vistoriou a obra esta semana e acredita que o serviço poderia estar um pouco mais avançado. “Contei duas frentes de trabalho, mas acho que poderia ter mais. Nos próximos dias vou rever o cronograma e, se necessário, modifica-lo. De qualquer forma, não há atraso”, salienta Dura.
 
O serviço iniciou em janeiro e é executado pelo consórcio Castellar/Técnica Viária, de Curitiba (PR). No momento, é feita a implantação da rede de drenagem e a confecção das obras-de-arte especiais, como bueiros, por exemplo. 
 
Este serviço já terminou entre Pedras Grandes e o Distrito de Pindotiba. Segue, agora, em direção a comunidade de Santa Clara. Deste ponto em direção a Orleans, outra equipe faz a limpeza da pista, recuo de cercas e muros, além da marcação e o estaqueamento dos trechos.
 
Em alguns pontos, existem questões a serem solucionadas. É o caso do recuou da rede elétrica, cujo serviço depende da Coorsel, cooperativa de Treze de Maio. Por conta disso, há locais onde a terraplanagem não pode ser feita.
A previsão é que o aterro já cubra boa parte dos 16,5 quilômetros da estrada até o segundo semestre deste ano. A SC-382 integra a futura rodovia Serramar, um projeto que pretende ligar a neve, na serra, com as praias, no litoral sul.
 
A obra
• A ordem de serviço para o asfaltamento da SC-382 foi entregue no fim de setembro do ano passado, mas ficou acordado que o trabalho começaria somente em janeiro deste ano, o que foi cumprido.
• O consórcio Castellar/Técnica Viária, de Curitiba, no Paraná, venceu a licitação com a proposta financeira de R$ 19.416.232,50. Um deságio de 12,3% em relação ao valor orçado pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), de R$ 22.133.229,29. O prazo para finalizar a pavimentação é de 720 dias.