Brasília (DF)

O requerimento que pede a instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos foi lida e aprovada ontem no plenário do congresso. A instalação, de fato, ocorrerá após a indicação dos integrantes, o que precisa ser feito em cinco dias.

O PMDB e o PT, por terem as maiores representações no congresso, assumirão a presidência e a relatoria da comissão. Os indicados, respectivamente, são o senador Neuto de Conto (PMDB-SC) e o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ). A CPI terá 90 dias, podendo ser prorrogada por mais 90, e investigará o uso dos cartões desde a sua criação, em 2001, podendo retroagir até 1998.

Durante a sessão no congresso, o líder do PSDB no senado, Arthur Virgílio (AM), fez um apelo para que o presidente da casa, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), lesse também o requerimento protocolado pela oposição, que pede uma CPI exclusivamente no senado. “Tem que haver um acordo entre governo e oposição. Eu estou esperando que este acordo aconteça. Não há condições para o funcionamento das duas (comissões de inquérito). Acho que isso vai ser tumultuado”, afirmou Garibaldi.

A líder do governo no congresso, Roseana Sarney (PMDB-MA), afirmou que ainda não há um entendimento com a oposição em torno do assunto. Entretanto, ela considera viável que o seu partido ceda a presidência da CPMI ao PSDB para que haja apenas uma comissão de inquérito.
A proposta de CPI exclusiva no senado foi protocolada semana passada pelo PSDB e Democratas para tentar forçar os governistas a cederem a presidência da CPMI.