Wagner da Silva
Braço do Norte

As despesas da secretaria de saúde da prefeitura de Braço do Norte, na época em que era administrada pelo dentista Laércio Michels Júnior, serão analisadas por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da câmara. A proposta, sugerida no requerimento do vereador Venício Albino Bittencourt (D25), foi votada e aprovada nesta semana.

A CPI da saúde terá 120 dias para analisar possíveis irregularidades, durante o período de 2005 a 2008, frente às duas denúncias apresentadas ao Ministério Público. A primeira diz respeito à aquisição e instalação de vários equipamentos de ar condicionado. A outra versa sobre uma possível falsificação de notas fiscais de alimentação, empenhadas na prefeitura por agentes da secretaria.

Também pesa sobre o ex-secretário a denúncia de que permitiu vários funcionários pedissem adiantamento de verba para viagens, mesmo quando não saíam da cidade. Conforme consta, eles passavam em um restaurante já conhecido e faziam notas no mesmo valor.

“Isto chegou ao nosso conhecimento e o proprietário deste estabelecimento será chamado para prestar esclarecimentos. Ele preenchia notas apenas com valores e em somente uma via. Acredito que com consentimento do ex-secretário”, argumenta Venício.
O ex-secretário, no entanto, garante que as acusações não passam de perseguição política.

“Acredito que por eu ser pré-candidato a vereador, estou mais visado. Mas concordo com o papel de fiscalizar, este é o trabalho da câmara e estou à disposição para qualquer esclarecimento. Só espero que ele (Venício) apresente provas do que diz. Caso contrário, terá que arcar com as conseqüências”, enfatiza Laércio Michels Júnior.