Foto: Bruno Kelly/ Reuters/Agência Brasil

Neste ano, o governo federal ampliou o aporte de recursos em saúde em razão da pandemia do novo coronavírus. Isso foi possível com a permissão do Congresso de superação do teto de gastos com o chamado “orçamento de guerra”. Mas como ficam as estruturas implantadas no ano que vem?

Este foi o questionamento apresentado pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) ao Ministério da Saúde durante a reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), em Brasília.

O presidente da entidade, Carlos Eduardo de Oliveira Lula, lembrou que foram habilitados 11 mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 21 mil leitos foram colocados à disposição no Sistema Único de Saúde.

“Parece que a sociedade não vai aceitar que a gente feche estes leitos, retroceder para o ponto anterior porque não vamos ter recurso para manter isso para o futuro. Vamos ter que começar essa discussão, procurando caminhos para a gente procurar soluções viáveis”, ressaltou o presidente do Conass.

Em Santa Catarina há 1.482 leitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o estado, dos quais 1.077 estão ocupados, sendo 445 por pacientes com confirmação ou suspeita de Covid-19. A taxa de ocupação geral é de 72,7% e há 405 leitos livres atualmente. O Governo não se manifestou até quando estes leitos estarão disponíveis.