Um aposentado de 69 anos, de Tubarão, com formação em eletromecânica, e que tem a paixão e o amor pela invenção. Embora não se considere, pela sua humildade, José Alcino Alano é sim um inventor. E daqueles incansável, pois continua na ativa!

Não é à toa que já foi agraciado em um de seus projetos e ganhou o Prêmio Super Ecologia da Revista Superinteressante, entre outras conquistas (veja abaixo) e criações apoiadas por empresas de grande representatividade.

Em tempos de pandemia, sua sensibilidade e a solidariedade, aliadas ao seu talento, falaram mais alto. Ele desenvolveu um pequeno respirador. Porém, não com o intuito de substituir o convencional com vários recursos, mas como um sistema intermediário que possa aliviar talvez até o paciente que não precise de uma UTI, mas necessita de um respirador para socorro.

“Utilizei o Ambu, por conter recursos básicos como: bolsa de oxigênio, mangueira para alimentação de oxigênio e também de uma válvula de segurança. O conjunto elétrico acionador dispõe de um controle digital, onde pudemos ajustar a frequência respiratória por minuto, para cada paciente. São estes os recursos que possui”, descreve José com muito entusiasmo (veja no vídeo abaixo a apresentação do respirador).

Quanto ao funcionamento, o equipamento pode ser conectado em 110/220v ou em baterias de 12/24v, o que facilita a sua utilização em veículos, ou em locais fixo com a falta de energia. Basta acionar uma chave para acionar as opções, para que o mesmo não deixe de funcionar.

“Não sei quais as limitações da sua utilidade, mas em contato com os doutores Darlan e Diego, ambos anestesistas, talvez seja útil no transporte de pacientes ou em primeiros socorros, como Samu, bombeiros, entre outros. Por isso eu gostaria de uma avaliação de profissionais de saúde de outras áreas, como as citadas pelos médicos acima. Não existe qualquer propósito comercial ou retorno financeiro. Se for de interesse passo para quem queira produzi-lo. Diante do grande problema da Covid-19, ou em outras situações, se for possível dar minha modesta contribuição, esse é o meu único propósito”, emociona-se.

O inventor ressalta que, dependendo das sugestões e orientações do pessoal da área, talvez mais recursos possam ser anexados ao equipamento, tornando-o mais abrangente sua aplicação.

Alguns projetos do inventor
Um de seus projetos, que para ele foi o carro-chefe e ganhou grande destaque, foi um aquecedor solar feito com garrafas Pet e caixas Tetra Pack, em 2004, o qual ajudou muitas famílias a reduzirem suas contas de energia.

O projeto ganhou o Prêmio Super Ecologia da Revista Superinteressante pela sua eficiência em sustentabilidade e notoriedade com uma bela matéria. Inclusive, segundo José, o troféu é guardado com muito carinho.

A invenção foi patenteada e colocada à disposição em domínio público. “Na época, a Tractebel se interessou e patrocinou vários projetos em entidades sociais de Tubarão e em outras regiões, como também a Celesc para todo o Estado, inclusive com a implantação de uma cooperativa para a produção e instalação no Morro do Mocotó, em Florianópolis, como gerador de renda para famílias de baixa renda”, conta.

“Também tivemos a participação efetiva do Rotary Tubarão Cidade Azul, e em todos os demais projetos a participação da família, em especial a minha esposa Lizete, a qual agradeço com todo meu coração e estima”.

A Celesc também é a responsável pelo patrocínio de um outro projeto de Alano, denominado pela empresa de “Banho de Energia”, que é o trocador de calor para fogões a lenha. Esse projeto, há cerca de três anos, beneficia e prioriza residências em comunidades localizadas nas regiões mais altas e frias da serra catarinense.

“Esse equipamento que desenvolvi é ofertado pela Celesc aos selecionados, gratuitamente, sem qualquer ônus, possibilitando que essas famílias tenham água quente o dia inteiro, apenas com o aproveitamento do calor desperdiçado através da chaminé, proporcionando além da economia de energia elétrica, uma redução significativa no consumo de lenha e emissão de particulados para o meio ambiente. Até o momento, 2.675 famílias já foram beneficiadas, implantados por instaladores credenciados”, enfatiza.

Ele também destaca que o governo do Paraná se interessou pela iniciativa inovadora do aquecedor solar com garrafas Pet e o reconheceu como sustentável. Várias oficinas foram realizadas naquele Estado, inclusive com um manual desenvolvido por eles.

Perfil
José Alcino Alano nasceu em Treze de Maio, morou em Jaguaruna até os 15 anos e reside há 56 anos em Tubarão, cidade que adotou como sua para viver com a família. Sua formação é em eletromecânica por meio de cursos profissionalizantes. Inclusive um na Robert Bosch, em Porto Alegre (RS), onde havia uma escola que lhe deu uma excelente base profissional.