Num momento em que o crescimento das lojas online gera um grande interesse no e-commerce por parte dos empreendedores, motivando a busca pelo melhor fornecedor de Dropshipping e pelos melhores métodos de vendas, as lojas físicas encaram um momento da história onde a competição com o comércio digital se torna ainda mais complexo.

A pandemia do coronavírus tem levado várias marcas a optar por regimes de teletrabalho e a fechar os seus espaços comerciais, deixando poucas opções aos consumidores que não a de se voltarem para o meio online para fazerem as suas compras.

Além do pequeno comércio, que começa a fechar as portas por uma questão de segurança e saúde pública, também as grandes marcas aderem à tendência. Exemplo disso, é a nota divulgada pelo CEO da Apple que, após terem sido reabertas as lojas chinesas, anunciou que todas as lojas fora desse país serão fechadas após o dia 27 de março, devido à pandemia de Covid-19, ficando os funcionários em regime de trabalho em home office. A medida desta empresa internacional inclui as lojas brasileiras. Saiba mais sobre o fechamento das lojas Apple e o potencial impacto que terá nas suas vendas.

Fechamento das lojas Apple no Brasil

As lojas de varejo da Apple serão, conforme anunciado pelo CEO da Apple Inc., Tim Cook, encerradas a partir do dia 27 de março em todo o mundo, exceptuando a China.

No Brasil, isto inclui as lojas de varejo existentes no Barra Shopping, no Rio de Janeiro; e no Morumbi Shopping, em São Paulo.

Esta marca manterá as suas lojas virtuais em funcionamento e irá permitir que os funcionários das lojas encerradas trabalhem em regime de trabalho remoto.

O fechamento das lojas foi justificado com o aumento drástico no número de casos internacionais e visa minorar a propagação do vírus.

Além destas medidas, a Apple doou 15 milhões de dólares para tentar minimizar o impacto do Convid-19 na saúde pública e nas economias, tendo ainda reforçado o apoio ao consumidor, através de atendimento de suporte excecional online.

Qual o impacto esperado nas vendas Apple?

A projeção para o primeiro trimestre das vendas da Apple, no começo do ano, era de 62 bilhões de dólares.

Perante o surto de Covid-19, a empresa já comunicou aos seus investidores que não irá atingir esta projeção. 

O fechamento das lojas chinesas provocou uma escassez de componentes necessários para os iPhones e provocou uma redução significativa deste produto. 

Além disso, as medidas adotadas pela marca representaram uma quebra de 3,2% no próprio dia do seu anúncio, fazendo com que o valor de mercado desta empresa, segundo o Infomoney, reduzisse em 45 bilhões de dólares.

A Apple apresenta-se, portanto, como uma das multinacionais mais afetadas pelo surto de Covid-19.