Foto: Stringer/Reuters

A partir do mês do que vem encerra o prazo do decreto do Governo Feral que não permite o corte de energia elétrica. Válida desde o começo de março, a medida foi criada para aliviar a crise financeira que o país vive por conta da pandemia do coronavírus.

O problema é que após o anúncio do Governo Federal muita gente tem deixado de pagar pelo serviço mesmo tendo condições.

O que muita gente não entendeu é que a medida serve como um paliativo para o orçamento das famílias brasileiras que foram afetadas pela crise, mas não isenta o pagamento de faturas, só adia as parcelas.

Durante este período o serviço é utilizado e a fatura é gerada. O resultado tem sido o acúmulo de contas vencidas, aumento na inadimplência e uma conta que as empresas de energia não podem arcar.

De acordo com o presidente da Cergral de Gravatal, João Vânio Mendonça Cardoso, os consumidores não pagam a conta achando que o Governo vai pagar. ” A partir do mês que vem vamos retomar o corte de energia e quem não tiver em dia será afetado”.

Para faturas em atraso as cooperativas farão parcelamento de acordo com a necessidade de cada consumidor.

 

SOBRE O GOLPE

Vânio alerta para o golpe que as pessoas continuam a receber na cidade. Há pessoas de má fé se passando por profissionais da Celesc dizendo que quem não tiver a conta em dia terá a energia cortada. Para que não aconteça é preciso depositar uma quantia em dinheiro em uma conta.

“São pessoas de fora do município que nem sabem que existe a  cooperativa prestando serviço”, explica.