Wagner da Silva
Braço do Norte

A baixa na arrecadação aliada à crise mundial refletiu diretamente nos cofres municipais. Em Braço do Norte, o impacto foi suficiente para abrir um rombo de mais de R$ 700 mil no caixa da prefeitura. Cortes foram feitos para economizar o máximo possível. Agora, os números apontam que a manobra trouxe resultado positivo.
A informação do secretário de administração, Edenilson Niehues, é de que o déficit registrado no primeiro semestre deste ano caiu pela metade. A confirmação do fechamento das contas no ‘azul’ ainda depende dos números do próximo mês, referente à arrecadação, mas o secretário avalia a situação com otimismo.

Para cumprir com as determinações do Tribunal de Contas do Estado (TCE), foram feitos cortes drásticos. Os servidores perderam as gratificações, os salários foram reduzidos, comissionados e contratados em caráter temporário foram demitidos. “Com a eleição suplementar, o prefeito assumiu somente em março. Algumas decisões levaram tempo para serem tomadas porque precisávamos levantar números. Por conta disso, os cortes tiveram que ser mais profundos”, justifica Edenilson.

No mês passado, o superávit da prefeitura de Braço do Norte caiu a R$ 350 mil e, no próximo mês, a prefeitura deve liquidar os empenhos para o ano. Com isso, o planejamento de projetos e obras a serem executados em 2010 poderão ser ampliados. “A ponte da comunidade de São José é uma prioridade, assim como a aquisição de equipamentos para as secretarias de obras e infraestrutura. Tudo estava planejado para este ano e foi remanejado para o próximo”, destaca o prefeito Evanísio Uliano (PP), o Vânio.