Tubarão

Tapetes coloridos, considerados como um gesto de carinho para enfeitar o caminho por onde passa a procissão com a hóstia consagrada, mais uma vez chamaram a atenção dos milhares de fieis em 26 paróquias da Diocese de Tubarão. O sal grosso, cal e serragem deram um toque a mais nas diversas ruas da Cidade Azul e de diversos municípios da Amurel.

Nesta quinta (20), dia de Corpus Christi, a programação teve início em Tubarão, às 14h, na Paróquia São José do Operário (Oficinas) e às 14h30, na São Francisco de Assis (Monte Castelo). Também foram realizadas procissões às 15h, nas Paróquias de Santa Teresinha do Menino Jesus (Passagem), Nossa Senhora de Fátima (Humaitá),Nossa Senhora Imaculada Conceição (Morrotes) e na Catedral (centro).

A data é especial para o catolicismo, já que recorda a instituição da eucaristia e celebra o corpo e o sangue de Jesus presentes nela. De acordo com o padre Rafael Uliano, a Igreja Católica comemora em todo mundo, o dia de Corpus Christi. O nome vem do latim e significa, ‘Corpo de Cristo’. Tem como objetivo, celebrar o mistério da Eucaristia, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Cristo. “É um dia em que os fiéis tradicionalmente confeccionam os tapetes feitos de flores, serragem e outros materiais, pelas ruas onde passará o Santíssimo Sacramento”, explica.

De acordo com o padre, a motivação litúrgica para o evento é o louvor merecido à Eucaristia, fonte de vida da Igreja. “Celebrar o Corpus Christi significa fazer memória solene da entrega que Jesus fez da sua carne e sangue para a vida da igreja e comprometer-nos com a missão de levar esta boa nova para todas as pessoas”, observa.

No dia de Corpus Christi, os católicos celebram a Eucaristia: o sacramento que consagra o pão e o vinho como o corpo e o sangue de Cristo para lembrar da morte e da ressurreição de Jesus. “Hoje lembramos o que ocorreu na última ceia e depois a permanência de Jesus no sacrário. É hora de cada um de nós voltarmos em nossas vidas e tomarmos conhecimento dos momentos em que a graça de Deus foi tão generosa e fiel. Este é um dos momentos mais bonitos”, afirmou a aposentada Maria Aparecida Cardoso.

Assim como em anos anteriores, representantes de pastorais, movimentos e instituições ligadas a Diocese trabalharam na confecção do grande tapete de pó de serra, com ícones litúrgicos, pelas principais ruas da cidade. O trabalho é visto por eles como bastante especial ao ato religioso que todos anos conta com a participação de milhares de católicos.