Tatiana Dornelles
Tubarão

Centro de Tubarão, por volta das 15h30min. Um acidente entre um carro e um caminhão paralisou o trânsito em frente ao Centro Municipal de Cultura – Museu Willy Zumblick, ontem. O desastre envolveu duas vítimas: um homem e uma criança, que voou pelo vidro e foi parar fora do carro, caído no asfalto e bastante machucado.

Explosões, fumaça e gritos. E, Tatiana Dornelles, estava no local junto com o repórter fotográfico Gilmar F. Estevam.
Em todos os cantos, as pessoas chegavam e perguntavam como havia ocorrido o acidente. A criança gritava de dor no chão e, o pai, preso nas ferragens, ensangüentado, a todo momento perguntava como estava o filho. “Salvem meu filho, primeiro ele. Como ele está?”, gritava, desesperado.

Enquanto isso, o telefone na redação do Notisul não parava de tocar. Várias pessoas ligaram para avisar do acidente. O gerente comercial do jornal, Reginaldo Antunes, foi uma destas pessoas. O meu celular também tocou algumas vezes e, em uma delas, foi minha mãe, Tânia Mara Soares Dornelles, quem quis me contar sobre o desastre.

Após as explosões, o caminhão do Corpo de Bombeiros chegou rapidamente. O local foi completamente isolado e os bombeiros começaram a atuar no resgate das vítimas. Fotógrafos registravam cada momento.
De um lado, dois bombeiros cuidavam dos ferimentos da criança, enquanto outros quatro tiravam a outra vítima de dentro do carro. Ferramentas de corte foram necessárias para tirar o homem, com vida, do meio das ferragens.

O tempo, para as vítimas, parecia não passar. Enquanto para os curiosos, toda a movimentação dos bombeiros despertava mais interesse. “Coitado do homem preso às ferragens. Será que se machucou muito?”, foi um dos comentários feitos.
Depois de resgatadas as vítimas, que foram imobilizadas e colocadas dentro do veículo dos bombeiros para serem encaminhadas ao hospital, o carro todo amassado foi retirado da rua, assim como o caminhão.

A cena, que parecia bem real, era apenas um resgate simulado do 8º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Tubarão. Todos que assistiam à simulação aplaudiram ao término.