Entra em vigor a partir desta quarta-feira (18), o decreto emergencial apresentado na terça-feira (17) em coletiva de imprensa pelo governador Carlos Moisés (PSL). Por meio de acompanhamento do desenvolvimento e propagação do Covid-19 em outros países e em outros estados, as medidas foram adotadas e serão reavaliadas constantemente.

A decisão tem como objetivo conter a propagação do vírus, pelo fato de o Estado já ter registro de transmissão comunitária, ou seja, quando não é mais possível identificar a origem da contaminação. “Todos os dias estamos revendo as medidas, são medidas tomadas boa parte delas por sete dias outras por trinta dias, como é o caso das reuniões de público”, pontua. 

“Estamos lidando com um inimigo invisível. É possível que alguns de nós já tenhamos positivado mas não ficamos assintomáticos e vamos nos livrar do vírus. Não temos a medida exata do tamanho do problema que enfrentaremos, por isso as medidas restritivas são tão importantes”, detalhou o governador.

Sobre as determinações apresentadas nesta terça-feira

Estão suspensas por 7 dias, em regime de quarentena, circulação de veículos de transporte urbano intermunicipal e interestadual de passageiros, atividades e serviços privados não essenciais como academias, shoppings, restaurantes e comércio em geral.

As atividades e serviços públicos não essenciais no âmbito municipal, estadual e federal, além da entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro. “Para o hoteleiro, terá uma portaria específica para orientar o setor”, detalhou Moisés.

Os serviços essenciais como de saúde, funeral, postos de saúde, supermercados, farmácias, postos de combustíveis, distribuidores de gás e água, serão mantidos.

Já por trinta dias estarão suspensos os eventos de qualquer natureza, em caráter público ou privado, incluindo cursos presenciais, excursões, cultos religiosos e missas. Determina que pequenas aglomerações não sejam realizadas, qualquer reunião de público, mesmo reuniões de até 100 pessoas (aqui envolve todo tipo de evento/encontro, qualquer público e qualquer número de pessoas, ele citou até festas de aniversário)

“Até ontem (16) estavam suspensos eventos acima de 200 pessoas ao ar livre e fechados acima de 100 pessoas. Hoje (17) estamos determinando que nem pequenas aglomerações em ambientes fechados seja realizada e em qualquer número de pessoas ficam proibidos”, detalha o governador.

Conforme Moiséis, nas regiões em que já tenham sido identificado o contagio comunitário, no qual a região Sul já se enquadra, indústrias deverão operar com a capacidade mínima necessária. “Esse é um conceito que vai ser construído com o setor da indústria de Santa Catarina para que possamos chegar a um número que não inviabilize a indústria catarinense, mas que ao mesmo tempo mitigue o risco dos seus funcionários, empregados ou até mesmo de expor outras pessoas ao contágio”, finaliza.