Capivari de Baixo

Perante a pandemia de coronavírus, que deixa boa parte do país em quarentena e diversas atividades paralisadas, inúmeras medidas têm sido tomadas para conter o avanço da Covid-19 e diminuir os impactos da doença. Nesta quinta-feira, a moradora de Capivari de Baixo, Ivete Vargas, sugeriu em sua página de facebook, que os vereadores pudessem doar uma parte do orçamento deste ano, para colaborar com os munícipes mais atingidos.

Ela lembra que para 2020, a Câmara de Vereadores da cidade termelétrica terá um orçamento de R$ 3,8 milhões. Um valor considerável. “Além disso, eles têm o limite do duodécimo. Mais que justo eles agora, se reunirem virtualmente e doarem uma parte dessa fatia ‘gorda’ para o município comprar cestas básicas para quem precisa e tem fome”, observa. Ela assegura que não é aceitável o silêncio e omissão dos representantes políticos do município. “Bora, repartir o pão, vereadores! ”, convida.

No país, algumas casas legislativas repassaram valores consideráveis para as prefeituras, onde o montante será revertido para aquisição de insumos para as famílias de baixa-renda. Neste sábado e domingo, a equipe de reportagem do Notisul buscou contato com os representantes do legislativa, para questioná-los sobre a sugestão da munícipe de colaborar com o eleitor em situação de vulnerabilidade social.

Conforme o vereador Thiago Viana (PSD), a devolução dos valores tem que partir do presidente da casa, José Adilson Vieira Freitas, o Zé da gaita. “Ano passado eu era presidente e consegui devolver. Neste momento só depende dele, nem precisa fazer projeto. Basta o presidente querer antecipar e devolver”, explica.

Sobre o duodécimo, Thiago conta que o valor é repassado mensalmente pela prefeitura para a Câmara de Vereadores. “A economia que o presidente fez nos primeiros meses, ele devolveu R$ 100 mil mês passado. Sou favorável sim ao repasse do dinheiro para os mais necessitados. Ainda mais nesta situação de pandemia, com problemas financeiros da nossa população. É necessário apertar o cinto. Porém a prefeitura tem que ser mais transparente em relação aos critérios e entregas das cestas básicas”, pontua.

Outro legislador procurado pelo Notisul foi Adam Dutra Machado (PL). Ele também se diz favorável ao repasse para a população hipossuficiente. “Sou favorável. Porém, o presidente tem total autonomia sobre o orçamento da câmara”, observa.

Procuramos o presidente da casa legislativa, José Adilson, o Zé da Gaita, no entanto, ele não atendeu as ligações. Entramos em contato com a esposa do legislador e fizemos o questionamento, porém também não obtivemos respostas.