A pandemia do Coronavírus trouxe medos e incertezas ao mundo todo, antes nunca sentidos. Além de uma novidade para os hospitais e profissionais da saúde, o Covid-19 também trouxe novos sentimentos e angústias especialmente aos pacientes com suspeita ou diagnosticados com a doença.

Foi pensando neles, que o Hospital São José, em Criciúma, desenvolveu um caderno de atividades intitulado de “Passatempo do Bem”. No livreto estão reunidas dicas de como lidar com esse momento vivido atualmente, diversões por meio das atividades como jogo dos sete erros, caça-palavras e mandalas para colorir. Também estão no livro dicas de exercícios e modelos de respiração para ajudar o paciente a vencer o Coronavírus. Além disso, há um espaço especial onde as pessoas podem expressar o que sentem, o que pensam, o que está passando no seu coração e seu pensamento naquele dia.

“A ideia surgiu de algumas discussões que tivemos com colegas que são psicólogas hospitalares em outras instituições do Brasil. Formamos um grupo especialmente para trocar ideias e compartilhar estratégias de trabalho para este momento em que estamos vivendo. Nossa principal intenção foi de alcançar os pacientes que ficam em isolamento e mostrar que há toda uma equipe cuidando dessas pessoas, e que elas não estão sozinhas. Foi então que pensamos em algo que, além da visita psicológica que já era realizada, pudesse amenizar a rotina da internação, a angústia do isolamento, e que fosse um instrumento que auxiliasse os pacientes a materializar o que sentem e o que pensam”, explica a psicóloga hospitalar do HSJosé e mestre em saúde coletiva, Fernanda de Souza Fernandes.

Primeiros kits já foram entregues
O conteúdo do livro foi baseado nas vivências com os próprios pacientes. “Quando começamos a pensar no conteúdo, coletamos informações a partir dos atendimentos que já vínhamos fazendo no isolamento e pensamos no que poderíamos fazer que fosse auxiliar as pessoas que ficam internadas, isoladas e sem acompanhantes. Procuramos misturar atividades que intercalassem momentos de expressão das emoções, passatempos e recados que gostariam de deixar de forma escrita para os familiares e amigos”, explica Fernanda.

Os kits foram entregues aos pacientes internados com suspeita ou confirmados com Coronavírus. Cada kit é composto por um livro de atividades, lápis de cor, lápis de escrever, borracha e apontador. “Cada paciente ganha o seu kit e conseguimos ver a alegria não só pelo presente, mas também pelo cuidado demonstrado pelo hospital a todos eles neste momento”, afirma a psicóloga.