A Secretaria da Saúde de Santa Catarina afirmou na tarde desta terça-feira (28) que ativou o plano de contingência para Síndrome Respiratória Aguda Grave, para atender e identificar casos suspeitos de coronavírus. Até a publicação desta notícia, não havia nenhuma suspeita no estado.

A secretaria recomendou que os catarinenses evitem viajar para a China, país onde 106 pessoas morreram com o vírus e 4,5 mil estão infectadas. Até o momento, não existe uma vacina contra a doença.

No caso dos catarinenses que tenham viajado para a China nos último 14 dias, é importante ficar atento e procurar atendimento médico em caso de febre acompanhada por mais algum sintoma respiratório, como tosse ou dificuldade de respirar.

Prevenção

O médico infectologista da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), Fábio Gaudenzi, explicou que a melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. As medidas são as mesmas contra o vírus da gripe:

lavar as mãos com água e sabão e frequência;
evitar tocar os olhos, o nariz e a boca com as mãos sujas;
evitar contato com pessoas doentes;
ficar em casa quando estiver doente;
cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, de preferência com um lenço de papel;

limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Investigação

O Ministério da Saúde investiga um caso suspeito de coronavírus em Minas Gerais. Nesta terça-feira (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que a pasta investiga uma paciente que apresentou sintomas compatíveis com os da doença. Além disso, agora o ministério orienta que brasileiros evitem viajar à China ou embarquem somente em casos de extrema necessidade.

A paciente cujo caso está sob investigação médica é uma estudante de 22 anos que viajou para Wuhan, na China. Ela chegou em território brasileiro no dia 24 de janeiro. Segundo o ministro, a estudante está em um hospital de alta organização na área de infectologia. Todas as 14 pessoas que tiveram contato com a estudante também estão sendo monitoradas.