Desde que Santa Catarina começou a apresentar números de casos referentes ao novo coronavírus o Estado deu início as atualizações diárias. Nesta sexta-feira (24), o governador Carlos Moisés, apresentou números considerados positivos para a região.

Para o chefe do poder Executivo ocorrem situações diferentes nas mais variadas cidades, mas a parceria entre o governo do Estado, municípios e cidadãos catarinenses com o objetivo de salvar o maior número de pessoas possíveis tem dado certo.

Até o início da noite, foram 1.209 casos confirmados em 105 municípios e 42 mortos, em 26 cidades. Em Santa Catarina são 61 pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Além disso, foram disponibilizados 298 novos leitos mais 100 bloqueados. Moisés diz que a apreensão e a incerteza são características comuns em todo o mundo. “Juntos conseguiremos superar os desafios”, afirma.

Questionado sobre o uso da cloroquina, o secretário do Estado da Saúde, Helton de Souza Zeferino, explicou que existe um protocolo de uso para alguns pacientes. “Todas as unidades têm à disposição. Mas é muito recente para saber se temos informações sobre a eficiência da medicação”, pontua.

 

Secretario

Zeferino destaca que o monitoramento de uma pessoa que trabalha em uma determinada cidade, reside em outra e esteve em contato com infectados, pode acabar levando o vírus para outro município. “Mas teremos em breve a possibilidade de mais precisão nos municípios por conta dos testes rápidos”, explica.

Além disso, é importante ressaltar que o risco é uma constante, já que muitas pessoas podem ‘carregar’ o vírus e sequer apresentarem sintomas. “Por isso, a importância de que as pessoas aprendam a conviver com o vírus”, reforça Moisés.

 

Fiscalização

O Estado deverá disponibilizar em breve números sobre fiscalizações e informações sobre as atividades. Recentemente foi realizada uma vídeo conferência com profissionais envolvidos com a fiscalização. “Os registros, que atendem as determinações contidas e orientadas, são catalogados”, observa o governador.

Moisés informa que nos últimos sete dias foram 5.302 fiscalizações apenas da Polícia Militar, sem contar as feitas pelos outros órgãos de fiscalização. “É importante que a população fique atenta principalmente nos períodos de junho e julho, onde ocorrem os maiores índices de doenças respiratórias”, destaca.

 

Federação Catarinense de Municípios

Moisés afirma que há um trabalho constante com o objetivo de estreitar ainda mais as informações. “Está marcado para esta terça e quarta-feira, vídeo conferências organizadas por macrorregiões.

“O governo do Estado está à disposição e trabalhamos para que todas as informações estejam ao alcance de toda a população”, afirma Moisés. O secretário de Saúde, explica que precisam ser feitos ajustes finos do que foi planejado. “A intenção é planejar os próximos 30 e 60 dias”, pontua.

 

Sérgio Moro

Após a saída de Sergio Moro do ministério, Moisés lamentou a sua saída do quadro do Governo Federal. “Ele teve um papel muito importante no combate a corrupção. Tivemos uma relação muito profícua e sempre deu muito valor a tudo o que ocorre aqui. Seria um sonho ter ele na composição do governo catarinense. Uma grande perda, mas tenho certeza que ele continuará trabalhando pelo Brasil”, finaliza.