O governo de Santa Catarina criou 381 novos leitos de UTI em hospitais públicos e filantrópicos desde o início da pandemia do novo coronavírus – o que representa 40% a mais da capacidade hospitalar pré-existente no Estado. Unidades de todas as regiões, em 22 municípios, já tiveram a capacidade de internações ampliada. Até esta segunda-feira (4) à tarde, 16,7% destas vagas estavam preenchidas.

As vagas estão em Florianópolis, São José, Criciúma, Araranguá, Tubarão, Blumenau, Timbó, Itajaí, Balneário Camboriú, Criciúma, Joinville, Jaraguá do Sul, Mafra, Porto União, Lages, Joaçaba, Concórdia, Caçador, Curitibanos, Chapecó, Xanxerê e São Miguel Oeste.

Essa ampliação teve início um dia depois do primeiro caso suspeito do novo coronavírus ser diagnosticado em Santa Catarina, no dia 13 de março. “Nós começamos a agir para ampliar o atendimento desde o primeiro momento em que o vírus foi detectado no Estado. Continuamos aumentando a capacidade de leitos”, destaca o governador Carlos Moisés.

O novo secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, ressalta que o objetivo é dobrar a capacidade do Estado para atender aos pacientes com Covid-19 até o final de maio – trabalho que o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) vem fazendo diariamente e do qual ele é um dos coordenadores. “Nós bloqueamos um décimo da capacidade dos leitos de UTI em Santa Catarina um dia depois da criação do COES. O resultado vai aparecendo com o trabalho que fazemos no dia a dia com toda a nossa equipe. Já passamos de 350 leitos no Estado. Estamos concentrando uma capacidade hospitalar que é um investimento de anos em cerca de meses”, destaca.