A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) completou nesta quinta-feira, 17, trinta dias da Operação Covid-19. Foram mais de 700 horas de operação contra a propagação e contágio do novo coronavírus, além dos trabalhos efetivos de orientação e de fiscalização das restrições das atividades econômicas e do isolamento social, atendendo aos decretos governamentais neste sentido, desde o dia 17 de março.

Neste período, a PM teve que se adaptar de acordo com a evolução das medidas restritivas, evoluindo operacionalmente e desenvolvendo sistemas informatizados para poder dar ao policial as condições para continuar com o seu trabalho operacional, no combate ao crime, e também no atendimento das ocorrências diárias em relação às regras de Saúde relacionadas a nova pandemia.

Até o momento, desde a publicação do primeiro decreto governamental, foram atendidas mais de 3.000 ocorrências, nas quais foram realizadas 1.548 notificações.

Ao todo, 147 estabelecimentos foram interditados, 382 termos circunstanciados foram lavrados e 15 pessoas foram presas, em razão do descumprimento das medidas restritivas.

Ações

Nesses últimos 30 dias, a PMSC realizou atividades de distribuição de cartazes, de orientação, para a utilização de espaços públicos e para que o cidadão catarinense se mantivesse em casa, mantendo o isolamento social. O aplicativo PMSC Cidadão foi adaptado para uso por parte do cidadão com apoio às ocorrências sobre o Codid-19 e a consultas à Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE.

A PM também intensificou a fiscalização das medidas protetivas, com o apoio do Conselho Estadual de Saúde, que deu poder às forças de segurança no Estado para atuarem neste sentido, passando desde a última segunda-feira, 13, a agir na condição de autoridade de saúde em todo o território catarinense, cabendo-lhe a fiscalização de todos os serviços e atividades liberadas a funcionar sob regramento especial, durante a vigência da pandemia.

Ao fazer uma avaliação, o comandante-geral da PMSC, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, destacou que a corporação soube atender às dificuldades impostas no transcorrer do período. “Tivemos que nos adaptar de acordo com a evolução dos dias e conseguimos garantir índices de isolamento social em Santa Catarina na média de 55%. Com isso, conseguimos achatar a curva de propagação do novo coronavírus”, avaliou.

Mesmo assim, o comandante destaca que o trabalho intenso deve continuar. “A Operação Covid-19 não acaba. Estamos intensificando ainda mais o trabalho de fiscalização, dentro das medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado e vamos entrar na fase mais difícil da pandemia, quando vários setores estão sendo liberados e devemos cuidar para que os casos não aumentem em Santa Catarina”, completou.