Os bispos do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiram uma nota na tarde desta quarta-feira, 22, sobre a Portaria 254 do governo de Santa Catarina, com normas para o funcionamento de igrejas, templos e afins. Os bispos reafirmam o compromisso de promoção do bem comum e de proteção da vida, e  entendem a preocupação que levou às restrições contidas na Portaria.

Ao mesmo tempo, em função das diferentes realidades em Santa Catarina, precisam de um tempo de adaptação para algumas regras que protegem a vida.

No estado, são 10 dioceses. Joinville, Lages, Tubarão, Rio do Sul, Joaçaba, Chapecó, Caçador, Blumenau e Criciúma não receberão fiéis para a celebração de missas, continuarão assim até o dia 3 de maio.

Já Florianópolis receberá fiéis nas paróquias que tiverem condições de oferecer os meios de segurança necessários estipulados pela Vigilância Sanitária.

Confira parte da nota emitida:

Em meio à pandemia em consequência do novo coronavírus, e diante da Portaria 254 da Secretaria de Estado da Saúde, de 20 de abril de 2020, com normas para o funcionamento de igrejas, templos e afins, os (Arce) Bispos do Regional Sul 4 da CNBB – Santa Catarina, querem dirigir-se ao Povo a eles confiado, com uma mensagem de apoio, esperança e orientação.

“Fomos surpreendidos por uma tempestade inesperada e furiosa. Damo-nos conta de estar no mesmo barco, todos frágeis e desorientados, mas ao mesmo tempo importantes e necessários: todos chamados a remar juntos, todos necessitados de mútuo encorajamento” (Papa Francisco). A coragem e o conforto nos vêm da certeza dada pelo Senhor: “Eis que estou convosco todos os dias” (Mt 28,20).

É consenso entre os Bispos que a Arquidiocese de Florianópolis, a título de experiência, nas paróquias onde for possível, fará celebrações com a possibilidade de os fiéis participarem, respeitando as normas previstas. As demais Dioceses: Joinville, Lages, Tubarão, Rio do Sul, Joaçaba, Chapecó, Caçador, Blumenau e Criciúma, continuarão com o modo de proceder atual até o dia 3 de maio de 2020.

Concluindo, exortamos a todos para que aproveitem a oportunidade do Tempo Pascal, e façam em família, a experiência do encontro com Jesus Ressuscitado, vivendo em pequena medida, o mistério da Igreja, comunidade de fé e testemunho. Multipliquem-se os gestos solidários entre pessoas, comunidades e sociedade: “é tempo de cuidar”. “Não pensemos só nos nossos interesses, nos interesses parciais. Aproveitemos esta prova como uma oportunidade para preparar o amanhã de todos, sem descartar ninguém. De todos. Porque, sem uma visão de conjunto, não haverá futuro para ninguém” (Papa Francisco).