Mais cinco pessoas já foram curadas da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, em Braço do Norte. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (14), pela Secretaria Municipal de Saúde. Dos 126 infectados pela doença no município, 123 estão curados, uma pessoa segue em tratamento e duas morreram.

Em 61 dias, foram realizados 635 exames, os quais 508 testes foram descartados. Os pacientes não estavam com a doença. Há oito pessoas com suspeita da doença na Cidade do Vale. Braço do Norte foi a primeira cidade da Amurel a registrar casos de Covid-19.

Para ser considerado curado, é preciso completar o ciclo de 14 dias da doença mais três dias sem sintomas. Quando o paciente não tem complicações e não apresenta os sintomas nesse período, é considerada cura clínica. Caso o paciente precise ir para a UTI e tenha complicações, mesmo completando 14 dias, só será considerado recuperado quando todas as complicações forem resolvidas. Assim, o tempo pode ser superior a 17 dias.

Conforme o MS e a Organização Mundial de Saúde (OMS), ficar em casa é importante porque, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

No Brasil, as primeiras ações ligadas à pandemia do covid-19 começaram em fevereiro, com a repatriação dos brasileiros que viviam em Wuhan, cidade chinesa epicentro da infecção. Em 15 dias, o país confirmou a primeira contaminação, quando a Europa já confirmava centenas de casos e encarava mortes decorrentes da covid-19.