Cíntia Abreu
Capivari de Baixo

Quando o assunto é drogas, normalmente as pessoas lembram de campanhas preventivas direcionadas a jovens e adultos sobre as consequências do uso, ou até mesmo projetos que indicam lugares de recuperação. O que geralmente não é reconhecido é que o ser humano, na juventude, já tem seu caráter formado, e com isso fica mais difícil introduzir qualquer tipo de opinião, ideais e filosofias de vida. Se este trabalho iniciar em uma idade menor, provavelmente as chances da pessoa desenvolver um vício são menores.

Com base em estudos indicadores de que crianças na faixa etária de 11 anos estão abertas a novas informações que contribuirão com a formação de sua personalidade, a Polícia Militar criou o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd). A ideia está disseminada em todo o país. Em Capivari de Baixo, em nove anos, cerca de 3,6 mil crianças da rede pública, de 4ª série, passaram pelo Proerd. Ontem à noite, no Clube Estrela, mais 420 alunos receberam o certificado.

O instrutor do programa, o soldado do 2º Pelotão da Polícia Militar de Capivari de Baixo Murilo Gonçalves, confirma que crianças das 6ª séries, pais e alunos das séries inicias estão incluídos para os trabalhos dos próximos seis meses de 2009. “Além da questão das drogas, vamos ensinar questões básicas, como, por exemplo, auxiliar os alunos de como devem prosseguir quando atenderem ao telefone sem a presença de adultos”, relata.

O instrutor trabalha ainda as dez lições do livro do estudante, com brincadeiras e vídeos. “Nosso objetivo é mostrar para os meninos desde cedo que o trabalho da polícia não é somente repressor. Se trabalharmos com o correto, no futuro, não precisaremos punir ninguém”, destaca Gonçalves. Em Capivari, o Proerd é executado através de uma parceria entre a PM, a prefeitura e a Tractebel Energia.