Entidades civis realizam atividades durante o mês contra a corrupção e a favor do retorno dos impostos. No próximo dia 27, mais de 100 cidades têm programação já definida, Várias ações informativas sobre a alta carga tributária incidente em produtos e serviços no país estão em pauta.

Lysiê Santos
Tubarão

Você sabe o quanto paga de imposto em cada produto ou serviço adquirido? Se não, você não está sozinho. No Brasil, uma em quatro pessoas também não sabe. O “Impostômetro”, ferramenta que contabiliza os valores arrecadados de tributos no país, a cada segundo atualiza os dados que já ultrapassam a marca dos R$ 800 bilhões. A Organização de Transparência Internacional revela que o Brasil piorou três posições no ranking sobre a percepção da corrupção no mundo em 2015, ficando na 79ª posição entre 176 países, ao lado de China, Índia e Bielorússia.

A corrupção tem sido assunto nas rodas de conversa de milhares de brasileiros. O ato fraudulento interfere no retorno dos impostos em benefícios para a sociedade, porque retira investimentos em áreas essenciais como saúde, segurança e educação. De acordo com a Organização das Nações Unidas, estima-se que, aproximadamente, R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Este valor significa três vezes o orçamento da saúde ou educação, e cinco vezes o orçamento da segurança pública.

Com o intuito de mobilizar a sociedade e conscientizar sobre a alta carga tributária, o Feirão do Imposto chega a sua 15ª edição. Esse ano o tema é “Chega de Mão Grande”, com ações contra a corrupção e a favor do retorno dos impostos. Durante todo o mês as entidades empresariais, por meio do núcleo jovem, realizarão atividades de conscientização e no dia 27, terá uma mobilização nacional.

Ações serão executadas durante a CasaPronta
Este ano, a Associação de Jovens Empreendedores de Tubarão (Ajet) prepara quatro ações em alusão ao movimento. “O Feirão do Imposto 2017, vem em uma nova metodologia. Estamos com mais ações para atingir um público ainda maior e mais diversificado. Focamos na conscientização de que pagamos muitos impostos, mas temos pouquíssimo retorno. Isso está diretamente ligado a dois fatores: corrupção e a má gestão dos recursos”, pontua a coordenadora do Feirão do Imposto em Tubarão, Lilian Demo.

No próximo dia 21, membros da Ajet participarão da Meia Maratona de Tubarão em revezamento. O objetivo é chamar a atenção dos atletas amadores e da população que prestigia o evento. Escolas do município também receberão palestras de conscientização. E no dia 27, a partir das 14 horas, ações serão realizadas em espaço cedido pela Associação Comercial e Industrial de Tubarão (Acit), na Feira Casa Pronta. Já a partir das 22 horas, os participantes se reunirão no Spot Pub, onde será exposto o impostômetro e comercializado um barril de chopp sem impostos. A bebida será servida em copos personalizados direcionados para o evento.

Em Braço do Norte, palestras orientam estudantes
Em Braço do Norte, o Núcleo de Jovens Empreendedores da Associação Empresarial do Vale de Braço do Norte (Acivale) iniciou as atividades com palestras em escolas estaduais de Braço do Norte e São Ludgero. Ontem, o coordenador do Feirão do Imposto no município, Bruno Tenfen junto com o presidente do núcleo Gustavo Schlickman, levaram informação aos alunos do terceiro ano do ensino médio, na Capital do Vale. “Realizamos palestras sobre a corrupção e fizemos uma brincadeira com os alunos através da “mesa da honestidade”. A ideia é mostrar aos jovens que a corrupção está em diversos pontos e cada um precisa fazer a sua parte para mudarmos essa realidade”, afirma o coordenador.

Ele relata que no dia 24 de maio ocorrerá uma palestra na Unisul de Braço do Norte em parceria com o Observatório Social que trará um perito na área contábil para debater sobre a alta carga tributária paga pela população.

Já no dia nacional do Feirão do Imposto, realizado no dia 27, os membros do Núcleo Jovem da Acivale se reunirão em frente à igreja matriz para divulgação da campanha a partir das 9h30min com venda de chopp sem imposto; divulgação de dados sobre a corrupção no Brasil e como isso implica no não retorno dos impostos para a população; chamadas na rádio comunitária local convidando a população a comparecer até o local de divulgação; participação de empresários e contadores locais para falarem de impostos, entre outras atrações. “No dia, a Casa Silva também disponibilizará cinco itens para serem vendidos sem impostos.

Faremos uma caminhada e convidamos toda a população a participar desta mobilização”, reforça Tenfen.

Acim Jovem também adere ao movimento
Em Imbituba, o Núcleo de Jovens Empresários da Associação Empresarial de Imbituba (Acim) organiza as ações. Em parceria com o Observatório Social realizará uma palestra sobre a corrupção para alunos de uma escola de ensino médio da cidade. O objetivo é conscientizar os jovens desde cedo sobre a corrupção e a alta carga tributária do país. Para a comunidade será feita uma exposição dos preços de alguns produtos com impostos e sem impostos, nas tarjetas de valores das mercadorias do Althoff Supermercados. No local terá um banner explicando que a ação é referente ao Feirão do Imposto. No dia 27, durante a manhã será feita a panfletagem e divulgação do Feirão do Imposto em Frente ao Althoff Supermercados com a exposição e comercialização de alguns produtos sem impostos.

O Feirão e seus resultados
O Projeto Feirão do Imposto foi criado em 2003 em Joinville, pelo Núcleo de Jovens Empresários da Associação Empresarial de Joinville (Acij), que mobilizou a sociedade civil para informar e, sobretudo, educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. A partir dessa mobilização, o Feirão se tornou uma ação nacional, desenvolvida anualmente pela Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) para conscientizar o quanto se paga em impostos e acompanhar a destinação dos tributos. A confederação, os movimentos estaduais e os parceiros na realização do evento já alcançaram importantes resultados para reduzir a carga tributária brasileira, além de conscientizar, a cada ano, uma grande parcela da população. Entre os resultados estão a Lei 12.741 (Lei da Transparência), que instituiu a discriminação dos impostos nas notas e cupons fiscais, e a Lei 12.839, que estabeleceu a retirada de impostos federais que incidem em produtos da cesta básica.