Zahyra Mattar
Tubarão

É bem possível que, até dezembro do próximo ano, o secretário estadual de segurança pública, Ronaldo Benedet, retorne a Tubarão para inaugurar, enfim, o novo prédio do Presídio Regional de Tubarão. Pelo menos esta é a vontade dele. E, no que depender das construtoras que farão as obras, também.

No clima de festa durante a assinatura da ordem de serviço para o início das obras, nesta sexta-feira pela manhã, no terreno onde a edificação será erguida, no bairro Bom Pastor, em Tubarão, uma presença importante foi sentida, a do ex-secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani (DEM).

Na época em que geriu a SDR, coube a ele o ônus de amargar protestos, correr atrás de documentos, agilizar, cobrar, adquirir o terreno. Antes dele, o também ex-secretário regional Ademir Matos (PMDB), este sim presente na cerimônia, também merece levar os louros. Ele apresentou o primeiro protótipo do que seria o novo prédio do presídio, em dezembro de 2005.

As duas empresas vencedoras para executar as últimas etapas da obra, a Incorporadora Brighentti, que fará a estrutura física, e a Verdicon Construções, cuja responsabilidade será as obras de concreto de alta resistência, iniciam os trabalhos na manhã da próxima terça-feira.

Representantes das duas empresas marcarão para 10 horas o início da montagem dos seus respectivos canteiro de obras. “As obras serão feitas simultaneamente. Com isso, espero voltar aqui para inaugurar o novo prédio em um ano”, reforçou Benedet, em tom de pedido para que o serviço seja agilizado. Os trabalhos serão acompanhados pelo assessor especial do secretário estadual de segurança pública, Wilson da Silva.

As obras

• Conforme o projeto arquitetônico, na parte inferior ficará toda a estrutura dos presos: celas, dois quartos para visita íntima, banheiros para os familiares, salas de revista, depósito, ambulatório, sala para advogado e cozinha com pequeno refeitório para os detentos responsáveis pela comida.

• A parte superior abrange toda a estrutura administrativa, alojamento, banheiros e cozinha para os agentes prisionais. Os policiais militares que fazem a segurança do local também terão um alojamento, anexo ao prédio principal.
• O novo presídio regional será construído no terreno de 1.917,18 metros quadrados, adquirido pelo estado ao preço de R$ 350 mil. A unidade terá capacidade para abrigar 248 presos. Hoje, 230 pessoas dividem o espaço projeto para apenas 60.