Wagner da Silva
Braço do Norte

Os vereadores de Braço do Norte encontram-se hoje à tarde com a equipe da Cerbranorte Geração S/A para esclarecer a suspensão da obra e o pagamento de R$ 1 milhão à empresa Itatrix, responsável pelo projeto executivo na construção da PCH Capivari. As denúncias foram levantadas pelos vereadores Salésio Meurer (PSDB) e Antonio Bittencourt de Souza (DEM), o Toninho da Cabana.
O convite partiu de representantes da empresa, que estiveram na última sessão da câmara de vereadores, quando o vereador Cleber Manoel (PP) falou sobre o caso. Cleber procurou o diretor administrativo e financeiro da obra, Luis Carlos Torres, de quem recebeu informações.

“Esta é a obrigação do vereador, buscar a informação antes de apresentar denúncias e esclarecer os fatos. Procurei o diretor, não como vereador, e sim como associado, e ele sanou todas as dúvidas sobre o pagamento”, esclarece. “Expliquei cada ponto, distrato, dívida e como foi feito o pagamento, na última sessão”, acrescenta.
Para Cleber, com estas denúncias, os vereadores deixaram de lado importantes projetos. “O plano diretor, por exemplo, está em pauta para ser analisado, mas não conseguimos estudá-lo, pois há estes entraves, denúncias que não são de nossa competências e deveriam partir do Conselho Fiscal, não de vereadores”, considera.

Associados não pediram informações

Por parte de associados, a Cerbranorte Geração S/A não registrou nenhum pedido de informação, mesmo assim, considera interessante a participação dos vereadores na discussão do assunto. Com esta explicação, o vereador Cleber Manoel recebeu convite para participar da reunião, estendida aos demais vereadores.
“Espero que eles (os vereadores) estejam desarmados de preconceitos e recebam as informações, esclareçam suas dúvidas. A geradora está nos dando a oportunidade de esclarecer os fatos e, por isso, é importante a atenção da equipe de vereadores”, avalia Cleber.

Saiba mais
• Na sessão de 23 de março, o vereador Salésio Meurer requereu o relatório de pagamentos feitos pela Cerbranorte em 26 de fevereiro.
• Fontes extra-oficiais apontavam que na data, três dias antes das eleições suplementares, a Cerbranorte Geração S/A efetuou pagamento em um distrato de contrato de R$ 1 milhão, à empresa Itatrix, responsável pelo projeto executivo da obra, em um período em que a obra estava paralisada.
• Segundo o diretor administrativo e financeiro da Cerbranorte Geração S/A, o pagamento foi aprovado em dezembro de 2008, mas o valor de quase R$ 8 milhões foi contestado.

• A Geração S/A contratou a empresa MAP Engenharia para fazer novas medições, para que o valor fosse justo. Após as medições, a empresa apresentou valor que, com impostos e multas, chegou a R$ 1,408 milhões. A primeira parcela, de R$ 1 milhão, foi paga em 26 de fevereiro. A segunda, R$ 300 mil, será paga este mês, e a terceira, R$ 108 mil, em maio.