Amanda Menger
Tubarão

Uma das obras mais requisitadas por moradores, comerciantes e turistas que se deslocam às praias da região pelo bairro de Congonhas, em Tubarão, é a ponte que liga a Cidade Azul a Jaguaruna. A obra já foi licitada, recursos foram destinados, mas até agora não saiu do papel.

Nos próximos dias, o prefeito de Jaguaruna, Inimar Felisbino (PMDB), espera receber um novo cronograma de obras da empresa Sul Catarinense. “O secretário estadual de infraestrutura, Mauro Mariani, sinalizou que haverá um aditivo de 13% no valor do contrato, porque os produtos como cimento, aço, tiveram aumentos desde que o projeto foi licitado. A empresa comprometeu-se de, ainda esta semana, apresentar um cronograma de trabalho e de execução das duas pontes, de Congonhas e do Torneiro”, revela Inimar.

O convênio para a construção da ponte de Congonhas foi firmado entre o estado e a prefeitura de Jaguaruna, já que Tubarão, na época, não possuía as Certidões Negativas de Débitos (CNDs são comprovantes de quitação de impostos e fundos federais e estaduais, como FGTS, INSS e inexistência de débitos com estatais) e não podia firmar parcerias com o estado. A obra foi orçada em R$ 800 mil – R$ 500 mil do estado e R$ 150 mil de cada prefeitura. A Sul Catarinense chegou a fazer o estaqueamento da ponte, mas os trabalhos pararam.

A empresa também é responsável pela obra da ponte da localidade de Torneiro, entre Jaguaruna e Içara (em parceria das duas prefeituras e o estado). Neste caso, a construção parou porque o rio sofreu assoreamento e o projeto inicial teve que ser revisto. “Representantes da empresa disseram que têm condições de concluir as duas pontes em seis meses. Cobraremos isso”, assegura Inimar.

Recursos
O estado já repassou à prefeitura de Jaguaruna R$ 200 mil. A prefeitura de Tubarão outros R$ 42 mil. Jaguaruna teria entrado com um valor menor, de R$ 3 mil a R$ 5 mil, para dar início aos trabalhos.