Carolina Carradore
Tubarão

Uma vistoria a ser realizada pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), na próxima terça-feira, deve encerrar o impasse a respeito das obras executadas nas pontes de Torneiro, em Jaguaruna, e de Congonhas, na divisa com Tubarão. Somente após o resultado da análise é que a prefeitura de Jaguaruna iniciará um novo processo de licitação para dar continuidade aos trabalhos obras.

Os serviços foram paralisados porque a administração municipal não repassou a sua contrapartida à empresa Sul Catarinense, responsável pelas obras.
A discussão gira em torno de uma nota de R$ 47 mil em que a Sul Catarinense afirma ter emitido à prefeitura. No município, a informação é que a dívida é de R$ 180 mil e não de R$ 230 mil, conforme alega a empreiteira.

“Um engenheiro do Deinfra irá levantar tudo o que foi feito nas pontes de Torneiro e de Congonhas. Assim, saberemos ao certo se existem esses R$ 47mil. Esse levantamento servirá também para estipular o valor para iniciar outra licitação”, afirma o secretário de obras de Jaguaruna, Ednilson Montini da Costa.

O contrato com a empreiteira encerrou no dia 31 de dezembro de 2008, motivo pelo qual o Tribunal de Contas do Estado (TCE) recomendou uma nova licitação. A prefeitura estuda a possibilidade de lançar dois editais, um para cada ponte.

As obras
As atuais pontes de madeiras na divisa de Jaguaruna com Tubarão, via bairro Congonhas, e de Torneiro (entre Jaguaruna e Içara) darão lugar a travessias de concreto. A primeira terá 85 metros e está orçada em R$ 800 mil – R$ 500 mil repassados pelo governo do estado e o restante, R$ 300 mil, será dividido entre as duas prefeituras. Já a segunda obra, terá 75 metros, para os quais serão dispensados R$ 600 mil. Deste total, cada prefeitura repassará R$ 150 mil e o estado os outros R$ 300 mil.