#PraCegoVer Na foto, uma pessoa conta dinheiro
- Imagem ilustrativa - Foto: José Cruz | Agência Brasil
Fonte: Banco Central

Quem não sacou recursos esquecidos em instituições financeiras na primeira rodada tem nova chance agora. Até o dia 16 de abril é possível fazer novo agendamento com base no ano de nascimento ou de fundação da empresa. Conforme o Banco Central avisa que quem já fez a consulta terá de repetir o procedimento. Isso porque as instituições financeiras acrescentaram informações ao sistema e pode haver novos recursos esquecidos. Mesmo quem sacou o dinheiro deve refazer a consulta. Inicialmente, estava programada para esta segunda a liberação do saque para correntistas de todas as idades. Agora, nessa nova etapa, o agendamento vai ocorrer de forma escalonada, conforme a data de nascimento ou a data de abertura da empresa. Pelo novo cronograma, o correntista poderá agendar o saque a qualquer hora da data informada, em vez de entrar em horários determinados pelo sistema. De 17 de abril a 1º de maio, haverá uma reformulação. COnfira as datas no calendário, abaixo:

As consultas serão retomadas em 2 de maio, na abertura da segunda fase do programa, que incluirá mais fontes de recursos esquecidos no sistema financeiro. Para agendar o saque, o usuário deve ter conta nível prata ou ouro no Portal Gov.br. Segundo o BC, cerca de 114 milhões de pessoas e 2,7 milhões de empresas acessaram o sistema de consultas valoresareceber.bcb.gov.br, criado para o resgate do dinheiro. A maior parte dos recursos esquecidos, no entanto, é de pequeno valor. De acordo com levantamento do Banco Central, saldos de até R$ 1,00 correspondem a 42,8% dos casos, e de até R$ 10,00 concentram 69,7% do total. Apesar do alto volume de consultas, o processo de agendamento de saques está sendo menor que o esperado. Até a última quinta-feira (24), apenas 2,83 milhões pessoas físicas e 6.172 empresas haviam pedido a retirada. Dos R$ 3,9 bilhões disponíveis, foi agendado o saque de R$ 239,3 milhões por pessoas físicas e de R$ 6,3 milhões por pessoas jurídicas.

Confira passo a passo para a retirada do dinheiro:
Passo 1
Acessar o site valoresareceber.bcb.gov.br na data e no período de saque informado na primeira consulta. Quem esqueceu a data pode repetir o processo, sem esperar o dia 7 de março.

Passo 2
Fazer login com a conta Gov.br (nível prata ou ouro). Se o cidadão ainda não tiver conta nesse nível, deve fazer logo o cadastro ou aumentar o nível de segurança (no caso de contas tipo bronze) no site ou no aplicativo Gov.br. O BC aconselha o correntista a não deixar para criar a conta e ajustar o nível no dia de agendar o resgate. Confira aqui como aumentar o nível do login Gov.br.

Passo 3
Ler e aceitar o termo de responsabilidade

Passo 4
Verificar o valor a receber, a instituição que deve devolver o valor e a origem (tipo) do valor a receber. O sistema poderá fornecer informações adicionais, se for o caso. A primeira etapa da consulta só informava a existência de valores a receber,, sem dar detalhes.

Passo 5
Clicar na opção indicada pelo sistema:
– “Solicitar por aqui”: para devolução do valor pelo Pix em até 12 dias úteis. O usuário deverá escolher uma das chaves Pix, informar os dados pessoais e guardar o número de protocolo, caso precise entrar em contato com a instituição.
– “Solicitar via instituição”: a instituição financeira não oferece a devolução por Pix. O usuário deverá entrar em contato pelo telefone ou e-mail informado para combinar com a instituição a forma de retirada: Transferência Eletrônica Disponível (TED) ou Documento de Crédito (DOC).

Fonte: Agência Brasil
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul