Tubarão

Jailson Vieira

Há quase 2 anos, o Notisul trouxe uma matéria em que pais, alunos, professores e funcionários da Escola Municipal João Hilário Mello, no Sertão dos Corrêas, em Tubarão, tomaram a iniciativa de realizar uma ação beneficente para comprar um terreno em frente à unidade para a construção de uma quadra poliesportiva. Passado um tempo, o sonho do imóvel se tornou realidade.

A presidente da Associação de Pais e Professores (APP) e mãe de duas meninas que estudam na unidade, Ednéia Bittencourt, conta que a espera foi longa, porém, o empenho de todos os envolvidos na causa foi compensador. “ Quando iniciamos os trabalhos para a compra do tão sonhado terreno, precisávamos alcançar o valor de R$150 mil reais. Foram várias campanhas e sempre com o apoio de toda a comunidade escolar. O que parecia ser impossível se tornou realidade no ultimo dia 18, quando arrecadamos os últimos valores para que o terreno fosse quitado. Hoje a palavra que nos move é gratidão, pois temos o imóvel pago, escritura em mãos e pessoas que acreditam que educação e esporte juntos são ferramentas importantes para a transformação de um país melhor”, enfatiza.

A escola foi inaugurada em julho de 1991. E há mais de 20 anos, a comunidade escolar esperava  por uma iniciativa efetiva dos gestores da cidade. “ Hoje a APP e  a direção da Escola João Hilário de Mello,  só tem a agradecer aos pais, alunos, professores, funcionários, imprensa, empresas parceiras e a comunidades em geral pela colaboração da compra do terreno para a construção do ginásio de esportes”, resume.

Atualmente, os estudantes realizam as suas atividades de educação física em um campo que fica há cerca de 200 metros, entretanto, o perigo é constante já que é necessário atravessar uma via onde trafegam ônibus e caminhões a todo o momento. Enquanto o terreno não era adquirido, pais e professores pediam que ao menos uma passarela entre a escola e o campo deveria ser feita para a segurança dos alunos.

Em 2004, um Projeto de Lei de autoria do poder executivo autorizava o município a adquirir a área de terra de propriedade de Salésio Menegaz Corrêa, para ampliação da escola. Na época, foram destinados pelo departamento contábil da prefeitura para a aquisição do imóvel a quantia de R$ 23.293,53. Entretanto, esses valores não foram entregues ao proprietário do terreno, à época.