Os proprietários da Loja Toque de Pele decidiram não abrir na segunda e terça-feira de Carnaval.
Os proprietários da Loja Toque de Pele decidiram não abrir na segunda e terça-feira de Carnaval.

Karen Novochadlo
Tubarão

Falta pouco menos de duas semanas para o Carnaval e muitas pessoas programam como será o feriadão. As praias são destinos preferidos, mas há quem opte por outros programas. Em Tubarão, quem estiver na cidade na terça-feira (dia 8) poderá encontrar algumas lojas abertas, prontas para atender os clientes.

O calendário do Sindicato dos Lojistas (Sindilojas) já foi programado. Na segunda-feira (7), o funcionamento será facultativo. “As empresas que quiserem dar aos seus empregados uma folga poderão aproveitar esse dia emendando-o ao descanso do final de semana. Aqueles lojistas que quiserem abrir suas portas também poderão, sem qualquer impedimento”, orienta a secretária executiva do Sindilojas, Natalia Cordini Pavanello Massih.

Natália justifica a abertura no fato de lojas como agropecuárias e de materiais de construção, por exemplo, terem vantagens ao abrir nestes dias. “No ano passado, foi um teste. As lojas que abriram tiveram um bom resultado”, revela Natalia.

Mas a decisão não é um consenso entre os lojistas. A loja Toque de Pele não abrirá segunda e terça-feira de Carnaval. “Para nós, não é vantajoso. A cidade fica vazia e temos medo de assaltos”, explica a gerente Márcia Costa.

Na Casas Fretta, a pretensão é abrir a loja, mas a questão ainda será analisada. “Não esperamos muito movimento para o Carnaval. Provavelmente, abriremos na terça-feira, mas ainda vamos analisar a questão”, avalia o gerente Felipe Costa.

Decisão não esperada
A diretoria do Sindicato dos Comerciários de Tubarão surpreendeu-se com a decisão de as lojas abrirem segunda e terça-feira de Carnaval. “Já havíamos conversado (com representantes do Sindilojas) que na segunda o comércio não abriria, mas de repente mudaram de opinião”, lamenta a presidenta Elizandra Rodrigues Anselmo. De acordo com a secretária executiva do Sindilojas, Natalia Cordini Pavanello Massih, como não houve acordo com os comerciários, foi mantido o calendário estabelecido em novembro. Chegou a ser discutida entre as duas classes a possibilidade do comércio fechar as portas nos dois dias de folia.