Comerciários de Tubarão querem uma readequação no horário de trabalho em determinadas datas.
Comerciários de Tubarão querem uma readequação no horário de trabalho em determinadas datas.

Carolina Carradore
Tubarão

A velha discussão quanto ao horário de atendimento do comércio volta à tona. Ontem de manhã, representantes do Sindicato dos Comerciários de Tubarão estiveram reunidos com o prefeito Manoel Bertoncini. A categoria reivindica alteração no horário de atendimento em época de Natal e uma maior atenção quanto ao Sábado é o Dia D.

De acordo com a presidenta do sindicato, Elizandra Rodrigues Anselmo, o prefeito ouviu as principais reclamações dos comerciários. A categoria pede que duas semanas sejam o limite trabalho até as 22 horas em época de Natal. A ideia dos lojistas é estender o horário natalino para três semanas. Outra reivindicação é relacionada ao Dia D, quando o comércio fica aberto até as 17 horas de sábado, uma vez por mês.

“Queremos que seja respeitado um sábado por mês de horário diferenciado. O problema é que querem passar para dois sábados, como ocorreu em abril, por exemplo”, frisa Elizandra, que garante: boa parte das empresas de Tubarão não paga hora extra para quem trabalha no Dia D. “São poucos os funcionários que trabalham com comissão e ganham horas extras nesses dias”, lamenta.
O prefeito solicitou que todas as reivindicações sejam documentadas. Ele se propôs a intermediar um acordo entre os sindicatos dos Lojistas e dos Comerciários.

O outro lado

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista (Sindilojas) de Tubarão, José Masiero, garantiu ontem que não há nenhuma intenção dos lojistas em abrir o comércio em horário estendido dois sábados por mês. E assegura que todas as lojas de Tubarão pagam hora extra aos funcionários. Masiero acredita que o prefeito não irá travar o horário do comércio. “Ele quer que a cidade se desenvolva, não vai tomar alguma medida contrário a isso”, assinala.