Foto: Divulgação/Notisul
Foto: Divulgação/Notisul

Florianópolis

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em parceria com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a Associação dos Magistrados Catarinenses e a Escola Superior da Magistratura de Santa Catarina (Esmesc), promoverá o seminário “Os desafios do Sistema de Justiça frente ao Crime Organizado”, que terá como palestrantes o ministro Luís Roberto Barroso (STF), o ministro Rogério Schietti Cruz (STJ), o juiz federal Sérgio Moro (foto) (JFPR) e o promotor de justiça Sérgio Bruno Fernandes (MPDFT).

O evento tem como proposta fomentar a troca de experiências dos órgãos do sistema de justiça, com o fim de desenvolver competências organizacionais de operadores do direito para combate ao crime organizado. É voltado a servidores (que atuem como assessores na área criminal) e magistrados do TJ, membros do MPSC, magistrados federais, procuradores da República e alunos da Esmesc e da Escola do MPSC.

O seminário ocorrerá no dia 25 do próximo mês, das 9h às 12h30 e das 14 às 19h, no auditório do Tribunal Pleno do TJ, em Florianópolis. Os interessados poderão inscrever-se no período de 21 a 30 de maio, na página eletrônica da Academia Judicial. Oportunamente, esclarece a Academia, serão divulgados mais detalhes sobre a inscrição.

Nascido em 1972, na cidade de Ponta Grossa, no Paraná, Sérgio Fernando Moro é filho do casal de professores descendente de italianos, a mãe, Odete Starke Moro, que leciona português e o pai, Dalton Áureo Moro, ex-professor de geografia. Casado com a advogada Rosângela Wolff de Quadros, Moro tem dois filhos. Atualmente, como juiz da vara federal de Curitiba, Moro é considerado um dos magistrados mais atuantes no combate à corrupção de colarinho branco no Brasil. Contudo, apesar de tanto sucesso é criticado por setores da sociedade por ter uma forma de fazer justiça “seletiva”. Mesmo com algumas opiniões contrárias, Moro realiza um trabalho de combate à lavagem de dinheiro e por isso já comandou e ainda está à frente da Operação Banestado, Operação Farol da Colina e a Lava-Jato.