Zahyra Mattar
Tubarão

Em março do ano passado, um foco de dengue foi encontrado na agência central dos Correios, na rua Coronel Cabral. Por sorte, tudo não passou de um susto e medidas preventivas foram adotadas para reforçar o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença no país. Uma destas medidas é a inspeção, feita a cada dois meses, em um raio de 300 metros do local onde o foco foi confirmado durante um ano.

Ontem, a penúltima visita nas redondezas da agência dos Correios foi feita por uma equipe do programa municipal de combate à dengue e outra de agentes comunitárias. Para a surpresa do grupo, larvas de mosquitos foram encontradas em dois estabelecimentos comerciais da rua São José. Em um desses locais, as larvas estavam em uma lata com água, no jardim do estabelecimento.

Amostras foram colhidas e encaminhadas ao laboratório da 20ª gerência regional de saúde em Tubarão, para análise. Os testes definirão qual a espécie de mosquito são as larvas. No caso de Aedes aegypti, novas medidas preventivas serão tomadas para garantir que a cidade não tenha a doença.

As altas temperaturas e a ocorrência de chuvas frequentes, típicas de verão, formam a combinação perfeita para a proliferação do transmissor da dengue. O mosquito costuma depositar suas larvas em piscinas, cisternas, vasos, latas, pneus, garrafas e qualquer outro recipiente com água limpa e parada. Além da fiscalização, os agentes do programa municipal de combate à dengue também intensificaram a conscientização da população.

Na última semana, um foco de dengue foi encontrado e confirmado em uma empresa no bairro Alvorada, em Capivari de Baixo. Dezenove amostras foram coletadas e analisadas pela gerência de saúde em Tubarão. No total, 159 larvas foram analisadas. Destas, 86 eram de mosquitos comuns enquanto o restante (73) era do Aedes albopictus. A espécie, porém, não transmite a dengue no Brasil. O único local no mundo onde é confirmadamente um vetor da doença é a Ásia.

Assim como ocorre em Tubarão, um raio de 300 metros a partir do local onde o foco de dengue foi confirmado no bairro Alvorada será inspecionado, a cada dois meses, durante um ano, a fim de garantir que nenhum outro foco prolifere-se.