A alta nos preços das carnes teve o maior impacto na prévia da inflação de dezembro. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta sexta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), subiu 1,05% em relação a novembro, a maior alta mensal desde junho de 2018 e o maior resultado para dezembro desde 2015.

Entre os itens de alimentação e bebidas, a alta foi de 2,59%. Além das carnes, que registraram alta de 17,71% em dezembro, contribuíram também produtos como o feijão-carioca, com elevação de 20,38% e as frutas, 1,67%. Já os alimentos que tiveram queda de preço foram a batata-inglesa, com retração de -9,33%, e a cebola (-7,18%).

Também pesaram mais no bolso do consumidor a alimentação fora do domicílio e as despesas com transportes. As passagens aéreas, cujos preços já haviam subido 4,44% em novembro, tiveram alta de 15,63% em dezembro. A gasolina registrou alta de 1,49% e o etanol, majoração de 3,38%. E o gás de botijão também ficou mais caro (0,32%), após o reajuste de 4% no preço do botijão de 13 kg, nas refinarias, a partir do dia 27 de novembro.