#Pracegover Foto: na imagem há um homem de máscara, folhas e caneta
#Pracegover Foto: na imagem há um homem de máscara, folhas e caneta

A Ford anunciou nesta segunda-feira (11) que fechará as suas fábricas no Brasil. A empresa está presente há mais de um século no país e também na América Latina. O Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas, em Tatuí (SP), e sua sede regional em São Paulo serão mantidas e também algumas concessionárias.

Conforme o diretor da Florisa de Tubarão, uma das representantes da marca, Luciano Menezes, a região continuará com concessionária e os trabalhos continuarão. “Há três anos a Ford anunciou essa nova estrutura, porém ela deveria ocorrer em 2023, mas infelizmente com a pandemia e fatores políticos a decisão de fechar as indústrias foi antecipada para este ano. Como a Ford é uma empresa globalizada ela tem diversas fábricas em todo o mundo, o mercado será abastecido por elas”, explica.

O diretor da representante tubaronense conta que tudo que tiver de mais moderno estará no Brasil. Sobre a relação pós-venda, ele garante que não será nada modificado. “Nas concessionárias continuaremos com o atendimento padrão. Nesta terça-feira (12) reinauguramos as nossas instalações para atender ainda melhor os nossos clientes e colaboradores.  A Ford trará para o Brasil neste ano quatro ou cinco produtos. Vamos ficar com um portfólio bacana e uma linha Premium”, assegura.

Luciano pontua que o que ficou comprometido foi a produção dos carros nacionais. Segundo ele, futuramente não haverá mais carros nacionais, mas os globalizados. “Não apenas da Ford, mas de outras marcas. A concessionária da nossa região é muito bem vista perante a Ford e não fechará. Serão reduzidas algumas concessionárias que não há volume. São 262 distribuidoras e apenas 150 unidades deverão ficar”, finaliza.

A Ford encerrará as vendas do EcoSport, Ka e T4 assim que terminarem os estoques. As operações de manufatura na Argentina e no Uruguai e as organizações de vendas em outros mercados da América do Sul não serão impactadas. A produção será encerrada imediatamente nas unidades de Camaçari (BA) e Taubaté (SP), mantendo-se apenas a fabricação de peças por alguns meses para garantir disponibilidade dos estoques de pós-venda.