Os três mil mineiros que atuam nas seis carboníferas de Santa Catarina, em Lauro Müller, Urussanga, Içara, Siderópolis e Treviso, retornam ao trabalho na manhã desta sexta-feira (11) - Foto: Miriam Zommer | Agência AL

Após quatro dias de paralisação, os quase três mil mineiros que atuam nas seis carboníferas do Sul de Santa Catarina voltam aos trabalhos na manhã desta sexta-feira (11). Em assembleia, nesta quinta-feira (10) à tarde, eles aceitaram a proposta do sindicato patronal e votaram pelo fim da greve. 

O período de convenção trabalhista iniciou em setembro de 2021, mas efetivamente as rodadas de negociações começaram apenas em dezembro, sem qualquer avanço. Em estado de greve desde janeiro, os mineiros aguardaram até o sábado passado (5) por uma proposta das empresas. Sem nada novo e com os canais de diálogos fechados, os homens paralisaram as atividades na madrugada desta segunda-feira (7), com 100% de adesão.

O Sindicato da Indústria de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (Siecesc) tentou reverter o cenário e encaminhou, na última quarta-feira (2), um pedido de antecipação de tutela ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT).A intenção era solicitar que uma eventual greve fosse considerada abusiva. Em despacho, a desembargadora federal do Trabalho Quezia Gonzalez negou o pedido das empresas sob a argumentação de que a atividade de mineração não se enquadra em serviços essenciais da Lei nº 7.783/1989.


Proposta aceita pelos mineiros

  • Reajuste geral de salários: 13,10%.
  • Reajuste Abono Anual de Férias: 15%.
  • Reajuste Vale Alimentação: 15%.
  • Assistência ao Trabalhador Acidentado: estender de 90 para 120 dias.
  • Benefício em Caso de Morte: Aumentar de 04 para 05 salários mínimos profissionais.
  • Fornecimento de Lanche e Almoço: realizar avaliação semestral por nutricionista acompanhada de membro do sindicato base.
  • Fornecimento de Leite: fornecer leite também nos 15 primeiros dias de afastamento previdenciário.
  • Os trabalhadores da manutenção de subsolo da Carbonífera Metropolitana poderão fazer um adicional noturna por dia.
  • Dias parados na greve: metade dos dias não trabalhados serão remunerados pelas empresas e a outra metade será descontada em dias de férias de cada empregado.
  • O salário dos eletricistas de subsolo da Carbonífera Belluno serão equiparados ao salário dos eletricistas da Carbonífera Catarinense.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul