#Pracegover foto: na imagem há pessoas e acessórios
#Pracegover foto: na imagem há pessoas e acessórios

Duas mulheres com diagnóstico de endometriose profunda com acometimento intestinal, em Tubarão, chegaram recentemente a ter um desfecho positivo para a saúde. As portadoras da doença passaram por cirurgias laparoscópicas, com o renomado ginecologista paranaense, Dr. William Kondo (CRM: 20.056 / RQE: 16.029), juntamente com a equipe multidisciplinar dedicada a endometriose do Complexo Médico Provida e com profissionais do Hospital Unimed. Os trabalhos médicos ocorreram na unidade hospitalar e levaram mais de quatro horas de atenção.

“As pacientes apresentavam endometriose profunda, com acometimentos de vias urinárias, de intestino e com infertilidade associada. Sendo que esse tipo de endometriose ocorre quando as células endometriais-tecido que reveste internamente o útero, penetram com mais espessuras na parede de órgãos ou tecidos. Esses casos são considerados mais complexos, com mais sintomas e com maior dificuldade terapêutica. Como essa patologia geralmente promove o acometimento de várias estruturas e diversos órgãos, não somente ginecológicas, é necessário, na realização da cirurgia, também envolver cirurgiões do aparelho digestivo, cirurgiões colorretal, urologistas e até cirurgiões torácicos, conforme a situação”, explica Dr. William.

Conforme o ginecologista, essas cirurgias apesar de serem de grande porte, os riscos no procedimento são minimizados, quando ocorre um bom rastreamento pré-operatório, quando é realizado um diagnóstico correto e quando a equipe é multidisciplinar.
“Além dos profissionais capacitados, realizar esse procedimento também requer um hospital adequado e equipes de trabalho bem treinadas. São cirurgias laparoscópicas ou eventualmente por cirurgia robótica. Tem o pós-operatório, relativamente tranquilo, em que a maioria das pacientes em 10 a 15 dias, tendo uma evolução favorável, podem voltar as suas atividades normais”, destaca o médico paranaense.

Fizeram parte da cirurgia a equipe multidisciplinar do Provida, os ginecologistas, Dr. Leandro Gugel (CRM: 13442./ RQE: 6677), Dr. Marcelo Dexheimer (CRM: 11.466/ RQE: 8.822) E O COLOPROCTOLOGISTA, DR Gustavo Botega de Souza (CRM: 16.864 /RQE: 13.665).

Sintomas da doença

As cólicas menstruais muitas vezes consideradas “normais” podem ser o primeiro sinal de alerta sobre a endometriose, que pode chegar a ser devastadora na vida de muitas mulheres.

“Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade. Existem pacientes que sofrem dores muito fortes e outras que não sentem nenhum tipo de desconforto. Essa doença em idade reprodutiva pode causar infertilidade em até 40% dos casos. Pode estar associada a dor pélvica cíclica, dor no período menstrual, dor na relação sexual ou após ela, dor urinaria ou evacuatória, com piora no período menstrual e pode ser comum ocorrer dores lombares com irradiação para os membros inferiores”, informa o cirurgião ginecológico do Provida, Dr. Leandro Gugel (CRM: 13442. RQE: 6677).

Tratamento

A indicação médica para tratamento da patologia é realizada após investigação e individualizada conforme o objetivo do paciente, seja ele ter uma gestação, e ou controlar a dor crônica, com uso de hormônios, analgésicos e anti-inflamatórios, suportes nutricionais, fisioterapias, atividades físicas e acupuntura.

“O tratamento cirúrgico pode ser indicado quando não há resposta no tratamento clínico, quando o estágio da doença já compromete órgãos nobres e em casos de infertilidade. O importante sempre é buscar o diagnóstico correto e seguir as orientações médicas”, completa Dr. Leandro.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Complexo Provida