Cientistas do Reino Unido começaram a testar uma máscara que pode detectar o novo coronavírus em poucas horas.

As máscaras, criadas por pesquisadores da Universidade de Leicester e da Universidade de Pretória, absorvem gotículas do hálito do usuário com infecção bacteriana ou viral.

Elas vêm com uma tira de álcool polivinílico, que pode ser testada em laboratórios e dar resultados  rápidos. Após 30 minutos, as tiras podem ser testadas em laboratório. Atualmente, os testes atuais para o coronavírus podem levar até 48 horas.

Tem ainda a questão do preço. O dispositivo custa 2 libras, cerca de 12 reais e ele pode detectar também a tuberculose.

Testes

Testes em pacientes com tuberculose, os únicos que foram feitos até agora, mostram que as máscaras podem detectar a doença fatal em 90% dos casos.

O professor Mike Barer, do Leicester e seus colegas estão animados com a criação porque o coronavírus infecta os pulmões de maneira semelhante à tuberculose.

O vírus, que matou 2.800 pessoas em todo o mundo, é transmitido por tosse e espirro. Os sintomas incluem febre, tosse e falta de ar.

Eles acreditam que levará pelo menos dois meses para que possam testar as máscaras em pacientes reais com COVID-19.

Quase 83.000 pessoas em todo o mundo foram atingidas pelo COVID-19, com 19 casos confirmados no Reino Unido.