Zahyra Mattar
Tubarão

Quem teve o privilégio de ficar um pouco mais na cama nesta sexta-feira certamente acordou com o barulho do vento. Quem já estava cedo no batente viu o lindo dia de primavera ser tomado por nuvens negras, chuva e vento forte. Tudo culpa do ciclone!
Em Tubarão, o vento atingiu a marca dos 50 quilômetros por hora na Vila Moema. Em Laguna, no Farol de Santa Marta, as rajadas chegaram a 90 quilômetros por hora.

Apesar da intensidade, não houve estragos significativos. Na BR-101, algumas placas de sinalização ficaram destruídas no trecho entre Tubarão e Sangão. Os blocos de EPS (isopor) que ainda não foram instalados no viaduto duplo de acesso a Tubarão voaram. Os trabalhadores conseguiram recuperar todos e evitar que chegassem às pistas da rodovia.

A sinalização danificada foi recuperada ainda na sexta-feira, para garantir a segurança dos usuários. Em virtude do feriado do Dia das Crianças, na próxima terça-feira, é esperado um aumento significativo no movimento.

Em Tubarão, cerca de 10,5 mil casas ficaram sem energia elétrica. Houve dois pontos com problemas. Um nas proximidade da antiga agência Besc (hoje, Banco do Brasil), no centro. A cobertura de um prédio em construção caiu sobre a rede. Algo em torno de seis mil casas do centro e região do Santo Antônio de Pádua ficaram sem energia das 11 horas ao meio-dia.

O outro ponto atingiu consumidores dos bairros Dehon, Cruzeiro, Oficinas e Fábio Silva. Um fio rompeu no cruzamento das ruas Silvio Búrigo e Pedro Gomes de Carvalho. Cerca de 4,5 mil casas ficaram sem luz das 11 horas às 13h45min.

Previsão
O vento deverá continuar neste fim de semana, mas não com a intensidade observada nesta sexta-feira. O tempo melhora sábado e domingo, com céu claro e sol entre nuvens. Mas as temperaturas despencam. A partir de domingo, a mínima prevista deve ficar inferior à casa dos 10°C. Nas áreas mais altas do estado, pode gear. Nas estradas, especialmente nas da região, os usuários devem ficar atentos para a formação de nevoeiros, especialmente pela manhã. Os trechos entre Araranguá e Tubarão são os mais propícios para a formação deste fenômeno.