Amanda Menger
Laguna

O comunicado de alerta emitido pelo Departamento estadual de Defesa Civil devido à atuação de um ciclone extratropical foi mantido nesta sexta-feira. A previsão do tempo confirmou a formação do sistema de baixa pressão no continente. As áreas de abrangência do fenômeno são o litoral sul e o planalto de Santa Catarina e o litoral norte do Rio Grande do Sul.

Os ventos serão constantes na faixa de 20 a 40 quilômetros por hora, com rajadas que podem chegar até 120 quilômetros por hora. “Será um fim de semana com muito vento e chuva. Estas rajadas mais fortes é que podem ocasionar o destelhamento de casas e comércios e a queda de árvores que estiverem em situação de risco”, relata o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho, da Climaterra. Para ele, não há motivo de grandes preocupações. “Não será um novo Catarina. Depois de 2004, as pessoas ficam com medo por qualquer coisa”, explica.

A previsão do tempo indica ressaca forte no litoral. “Desaconselhamos a navegação, porque as ondas ficarão de quatro a seis metros de altura”, relata o meteorologista do Centro de Informações de Recursos Ambientais e Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram), Marcelo Martins.

Exatamente por isso, Coutinho acredita que os maiores prejuízos poderão ocorrer na faixa litorânea. “Isso deverá servir de lição para os prefeitos, para que não retirem as dunas, que são proteções naturais. As casas que estão mais próximas, como é o caso do Balneário Arroio do Silva, poderão ser as mais atingidas”, alerta.

A chuva será constante neste fim de semana. “O vento traz a umidade do mar para o continente e isso faz com haja uma precipitação maior. A expectativa, pelos modelos, é que chova em torno de 100 milímetros só nestes dois dias, o que é acima do normal”, revela o meteorologista do Ciram.
Até o fechamento desta página, por volta das 20h25min desta sexta, não havia registros de incidentes nos municípios da Amurel.